Contaminação microbiológica em alimentos proteicos e energético para atletas

Bruna Pereira Molina, Amanda dos Santos Paulo, Camila Heloísa Ruela, Joseane Almeida dos Santos Nobre, Glenys Mabel Caballero Córdoba, Roselene Canato Felipe de Oliveira

Resumo


Objetivos: Verificar a qualidade microbiológica dos suplementos alimentares whey protein, albumina e maltodextrina. Materiais e métodos: Foram analisados os suplementos whey protein, albumina e maltodextrina, sendo selecionadas três marcas diferentes para cada produto e três embalagens de lotes iguais de cada marca, os testes foram executados em triplicata, totalizando 81 amostras. A diluição seriada foi realizada em caldo BHI (Brain Heart Infusion), após esse processo foi feita a inoculação do material em placas de Petri contendo Plate Count Ágar (PCA), Ágar MacConkey e Ágar Sabouraud, em seguida fez-se a contagem de unidades formadoras de colônias nas placas de PCA que apresentaram crescimento superior a 20 UFC/mL e por fim foi realizado o procedimento de identificação das bactérias com o auxílio do Enterokit B. Para análise da composição centesimal da amostra, realizou-se a determinação do teor de umidade e proteína. Resultados: Das análises realizadas, em 25% delas foram identificados dois tipos de bactérias Gram-negativas oportunistas pertencentes ao grupo das Enterobactérias, sendo Citrobacter freundi e Serratia spp. e em 88% das marcas analisadas, foi constado contaminação fúngica. Conclusão: Os suplementos alimentares analisados apresentaram um padrão de qualidade nutricional aceitável para os parâmetros estudados. No entanto, os suplementos demonstraram má qualidade higiênica, pois constatou-se a presença de patógenos secundários, bolores e leveduras.

 

ABSTRACT 

Microbiological contamination in protein and energy foods for athletes

Objectives: Verifying  the microbiological quality of the food supplements: whey protein, albumin and maltodextrin. Materials and methods: a total of 81 samples of Whey protein, albumin and maltodextrin supplements were analyzed and three different brands were selected for each product and three packages of equal batches of each brand were tested in triplicate. A serial dilution was performed in BHI broth (Brain Heart Infusion), after this process for inoculating the Petri plaque material containing Plate Count Ágar (PCA), MacConkey Agar and Sabouraud Agar, then the colonies that presented growth above 20 UFC/mL were counted in a PCA and finally was carried out for the identification of the bacteria with the aid of Enterokit B. For analysis of the centesimal composition of the sample, were made a determination of the content of moisture and protein. Results: From the analysis performed, in 25% of them were identified two types of opportunistic Gram-negative bacteria belonging to the group Enterobacteria, Citrobacter freundi and Serratia spp. and in 88% of the analyzed brands, were observed fungal contamination. Conclusion: The food supplements analyzed presented an acceptable nutritional quality standard for the studied parameters. However, the supplements showed poor hygienic quality, as the presence of secondary pathogens, molds and yeasts was observed.


Palavras-chave


Suplementos alimentares; Atletas; Contaminação microbiológica

Texto completo:

PDF

Referências


-ANVISA, Agência nacional de vigilância sanitária. Resolução - RDC nº 10, de 2 de Janeiro de 2001. Ministério da Saúde. Brasil. Vol. 1. Num.1. 2001a. p.4.

-ANVISA, Agência nacional de vigilância sanitária. Resolução - RDC nº 12, de 2 de Janeiro de 2001. Ministério da Saúde. Brasil. Vol. 1. Num.1. 2001b. p.6.

-ANVISA, Agência nacional de vigilância sanitária. RDC Nº 360, de 23 de dezembro de 2003. Ministério da Saúde. Brasil. Vol. 1. Num.1. 2003. p.3.

-ANVISA, Agência nacional de vigilância sanitária. RDC n° 18, de 27 de abril de 2010 alimentos para atletas. Ministério da Saúde. Brasil. Vol. 1. Num.1. 2010. p. 2-3.

-Aljaloud, S.O.; e colaboradores. Microbiological quality and safety of dietary supplements in Saudi Arabia. Ejfa. United Arab Emirates. Vol. 25. Num. 8. 2013. p. 593-596.

-Alves, E.R.S.; e colaboradores. Análise físico-química e bacteriológica de coliformes totais e termotolerantes da água de consumo distribuída aos alunos de 3 creches privadas do setor leste da cidade de Porto Velho-Rondônia. Saber Científico. Porto Velho. Vol. 5. Num. 1. 2016. p. 24-32.

-Alves, M.P.; e colaboradores. Soro de leite: tecnologias para o processamento de coprodutos. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes. Juiz de Fora. Vol. 69. Num. 3. 2014. p. 212-226.

-Anisha, A.H.N.; e colaboradores. Evaluation of Bacillus spp. as dough starters for Adhirasam - A traditional rice based fermented food of Southern India. Brazilian Journal of Microbiology. São Paulo. Vol. 46. Num.4. 2015. p.1183-1191.

-Aragão, A. R. Consumo alimentar e de suplementos no pré e pós-treino em homens praticantes de musculação em Goiânia. Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Goiânia. 2014. p. 15.

-Cecchi, Heloisa Mascia. Fundamentos Teóricos e Práticos em Análise de Alimentos. Unicamp. Campinas. 1999. p 208.

-Costa, A.C.V. Avaliação da qualidade e segurança microbiológica de suplementos alimentares comercializados no mercado Português. Dissertação de Mestrado. Universidade do Porto-Porto. Portugal. 2016.

-Desconsi, A.C.; Izario, H.J.F.; Salazar, R.F.S. Avaliação físico-química e microbiológica do soro de leite concentrado obtido por osmose inversa. Revista Ambient. Água [online]. Taubaté. Vol.9. Num. 2. 2014. p. 325-335.

-Farakos, S.M.S.; Frank, J.F.; Schaffner, D.W. Modeling the influence of temperature, water activity and water mobility on the persistence of Salmonella in low-moisture foods. International Journal of Food Microbiology. USA. Vol. 166, Num. 2. 2013. p. 280-293.

-Fayh, A.P.T.; e colaboradores. Consumo de suplementos nutricionais por frequentadores de academias da cidade de Porto Alegre. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. Vol. 35. Num. 1. 2013. p. 27-37.

-Ferreira, M.A.; Martins, D. Ocorrência de espécies fúngicas isoladas a partir de mãos e unhas de trabalhadores. Rev. bras. med. trab. Manaus. Vol. 14. Num. 1. 2016. p. 60-70.

-Franco, B.D.G.M.; Landgraf, M. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo. Atheneu. 2001. p.170.

-Freire, I.C.M.; e colaboradores. Atividade antibacteriana de Óleos Essenciais sobre Streptococcus mutans e Staphylococcus aureus. Campinas. Revista brasileira de plantas medicinais [online]. Vol.16. Num.2. 2014. p.372-377.

-Fontan, J. S.; Amadio, M. B. O uso do carboidrato antes da atividade física como recurso ergogênico: revisão sistemática. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 21. Num. 2. 2015. p.153-157.

-Froehlich, A.; e colaboradores. Sensory aspects and reduction of salmonella in irradiated egg powder. Ciência e Agrotecnologia. Lavras. Vol. 39. Num. 5. 2015. p. 506-513.

-Giammanco, G. M.; e colaboradores. Molecular Epidemiological Survey of Citrobacter freundii Misidentified as Cronobacter spp. (Enterobacter sakazakii) and Enterobacter hormaechei Isolated from Powdered Infant Milk Formula. Foodborne Pathogens And Disease. Palermo.Vol. 8. Num.4. 2011. p.517-525.

-Gomes, L.O.F.; e colaboradores. Estabilidade microbiológica e físico-química de misturas para bolo sem glúten e qualidade dos bolos prontos para consumo. Braz. J. Food Technol. São Paulo. Vol. 17. Num. 4. 2014. p.283-295.

-INMETRO. Relatório final sobre a análise em suplementos proteicos para atletas. Programa de análise de produtos. Brasil. Vol. 1. Num. 1. 2014. p. 4-10.

-Iamanaka, B. T.; Oliveira, I. S.; Taniwaki, M. H. Micotoxinas em alimentos. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica. Vol. 7. Num. 1. 2010. p.138-161

-Jeddi, M. Z.; e colaboradores. Microbial Evaluation of Fresh, Minimally processed Vegetables and Bagged Sprouts from Chain Supermarkets. Health PopulNutr. Bangladesh. Vol. 3. Num. 32. 2014. p. 391-399.

-Jones, L.C.; Lemes, R.M.L. Análise microbiológica de polpas de açaí comercializadas em uma cidade do sul de Minas Gerais. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações. Minas Gerais. Vol. 12. Num. 2. 2014. p.601-608.

-Lopes, F.G.; e colaboradores. Conhecimento sobre nutrição e consumo de suplementos em academias de ginástica de Juiz de Fora, Brasil. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Juiz de Fora. Vol. 21. Num. 6. 2015. p.451-456.

-Lucas, G.N. Whey protein contamination fiasco. Sri Lanka. J Child Health. Vol. 42. Num. 4. 2013. p.181-182.

-Mallmann, E. J. J.; e colaboradores. Enterobactérias isoladas de amostras de leite em pó comercializados na cidade de Fortaleza-Ceará. Química na proteção do meio ambiente e à saúde. Rio de Janeiro. Vol. 1. Num.1. 2008. p.1-1.

-Martins, J. Contaminação fungica em sementes de chia comercializadas no municipio de Campo Mourão. TCC (Graduação) - Curso de Tecnologia em Alimentos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Utfpr. Campo Mourão. 30 f. 2015.

-Maughan, R.J. Quality Assurance Issues in the Use of Dietary Supplements, with Special Reference to Protein supplements. Journal of Nutrition. Loughborough. Vol.143. Num.11. 2013. p.1843S-1847S.

-Menezes, E.A.; e colaboradores. Freqüência de Serratia sp em Infecções Urinárias de pacientes internados na Santa Casa de Misericórdia em Fortaleza. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. Ceará. Vol. 37. Num. 1. 2004. p.70-71.

-Moura, A. C.; e colaboradores. Qualidade microbiológica de farinhas de trigo (Triticum aestivum) comercializadas na cidade de Cascavel (Paraná). Segurança Alimentar e Nutricional. Vol. 21. Num. 2. 2014. p. 499-504

-Murray, P.; e colaboradores. Microbiologia Médica. Missouri. Guanabara Koogan. 1992. p. 73-82.

-Nemati, M.; e colaboradores. An Overview on Novel Microbial Determination Methods in Pharmaceutical and Food Quality Control. Advanced Pharmaceutical Bulletin. Iran. Vol.6. Num. 3. 2016. p. 301-308.

-Pereira, A.C.; e colaboradores. Avaliação microbiológica de fórmulas infantis manipuladas em Unidade Centralizada de Produção. Segurança Alimentar e Nutricional. Campinas. Vol. 2. Num. 20. 2013. p. 260-274.

-Rossi, P.; Bampi, G.B. Qualidade microbiológica de produtos de origem animal produzidos e comercializados no Oeste Catarinense. Segurança Alimentar e Nutricional. Campinas. Vol. 22. Num. 2. 2015. p. 748-757.

-Sabogal, D. V. M.; e colaboradores. Aprovechamiento de pulpa y cáscara de plátano (Musa paradisiacaspp) para la obtención de maltodextrina. Biotecnología en el Sector Agropecuario y Agroindustrial. Armenia. Vol. 13. Num. 2. 2015. p.1 -10.

-Sanchez, J.A.; e colaboradores. Direct detection of toxigenic Bacillus cereus in dietary complement for children and cassava starch. Rev. Colomb. Quim. [online]. Colombia. 2014.

-Santos, J. S.; e colaboradores. Aflatoxina M1 em Produtos Lácteos e Uso de Bactérias Ácido Láticas para Biocontrole em Leite. Uniciências. Vol. 18. Num. 1. p. 51-56. 2014.

-Scabin, K.; Kozusny-Andreani, D.F.R. Qualidade microbiológica do leite in natura durante o processo de obtenção e após o resfriamento. Rev CES MedVetZootec. Vol.7. Num.1. 2012. p. 11-21.

-Silva, C.M. Avaliação da eficácia do anexo ii da rdc 275/02 para o alcance de alimentos seguros em uma indústria de suplementos alimentares. Tese de doutorado. Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba. 2014.

-Silva, N.; e colaboradores. Manual de métodos de analise microbiológica de alimentos. São Paulo. Logomarca Varela. 2007. p. 13-98.

-Silva, F.S.; Lupki, F.B.; Morais, H.A. Avaliação da rotulagem nutricional de suplementos energéticos comercializados em Diamantina, Minas Gerais. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 11. Num 64. 2017. p. 400-409. Disponível em:

-Silva L. V.; Souza S. V. C. Qualidade de suplementos proteicos: avaliação da composição e rotulagem. Rev Inst Adolfo Lutz. São Paulo. Vol. 75. 2016. p. 1-17.

-Silveira, M.L.R.; Bertagnolli, S.M.M. Avaliação microbiológica e das condições higiênico sanitárias de comercialização de sucos de laranja in natura. Alimentação e Nutrição. Araraquara. Vol. 3. Num. 23. 2012. p. 461-466.

-Siqueira, A.K.; e colaboradores. Resistência antimicrobiana em coliformes totais isolados de tanques de refrigeração de leite bovino. Atas de Saúde Ambiental-Asa. São Paulo. Vol. 2. Num. 3. 2014. p. 2-15.

-Skóra, J.; e colaboradores. Evaluation of Microbiological and Chemical Contaminants in Poultry Farms. International Journal of Environmental Research and Public Health. Basel. Vol. 13. Num. 2. 2016. p. 192-208.

-Sousa, C. P. Segurança Alimentar e Doenças Veiculadas por Alimentos: utilização do grupo coliforme como um dos indicadores de qualidade de alimentos. Revista aps. São Carlos.Vol. 9. Num. 1. 2006. p. 83-88.

-Spicer, W. J. Bacteriologia, micologia e parasitologia clínicas. Austrália. Guanabara Koogan. 2002. p. 40-43.

-Strohschoen, A.A.G.; e colaboradores. Laboratório de Microbiologia: normas gerais, instruções de trabalho e procedimentos operacionais padrões. Lajeado. Ed. da Univates. 2013. p.72.

-Timoteo, G. R.; Ferreira,M. C. M. Análise do teor de macronutrientes em suplementos dietéticos tipo whey protein. Revista Iniciare. Vol. 2. Num. 1. 2017. p.96-107.

-Zambão, J. E.; Rocco, C. S.; Heyde, M. E. D. V. D. Relação entre a suplementação de proteína do soro do leite e hipertrofia muscular: uma revisão. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 9. Num. 50. 2015. p.179-192. Disponível em:


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui