Teor de sódio de suplementos alimentares proteicos: uma análise da rotulagem

Paulo Víctor de Lima Sousa, Gleyson Moura dos Santos, Nara Vanessa dos Anjos Barros

Resumo


As empresas de suplementação têm colocado em suas fórmulas uma variedade de vitaminas e minerais, com alegação de melhora do desempenho. Dentre estes, tem-se o sódio que possui funções metabólicas importantes na prática da atividade física. Contudo, o seu consumo excessivo tem estreita relação com as doenças crônicas não transmissíveis. O objetivo desta pesquisa foi verificar as concentrações de sódio em suplementos alimentares proteicos a partir das informações nutricionais dos rótulos. Trata-se de um estudo quantitativo, exploratório e descritivo. Foram avaliados 58 rótulos de suplementos proteicos para atletas quanto aos conteúdos de sódio, estabelecendo-se uma porção padrão de 30 gramas para as análises. A maioria das amostras de suplementos eram Mix de Whey Proteins (47%; n=27). Não houve uniformidade dos teores de sódio adicionados aos suplementos proteicos, no qual 57% (n=33) apresentaram um teor de sódio na faixa de 51 a 100 mg por porção, 24,1% (n=14) e 3,4% (n=2) apresentaram-se na faixa de 101 a 150 mg e 251 a 300 mg, respectivamente. Considerando a recomendação diária de ingestão do mineral (2.000 mg), a ingestão de suplementos com concentrações elevadas por períodos prolongados é preocupante, o que é agravado pelo consumo superior à porção recomendada na embalagem e associação de uso com outros suplementos. Assim, concluiu-se que é interessante a implementação de medidas que estipulem as quantidades mínimas e máximas desse nutriente nos suplementos, para padronização na formulação desse tipo de produto; além de estimular o uso consciente destes, por meio de prescrição cautelosa e adequada por profissional capacitado.

 

ABSTRACT 

Sodium content of protein food supplements: a labeling analysis

Supplementation companies have put in their formulas a variety of vitamins and minerals, with allegation of performance improvement. Among these, we have sodium that has important metabolic functions in the practice of physical activity. However, its excessive consumption is closely related to chronic noncommunicable diseases. The objective of this research was to verify the sodium concentrations in protein dietary supplements from the nutritional information of the labels. It is a quantitative, exploratory and descriptive study. It were evaluated 58 protein supplements labels for athletes regarding sodium contents, establishing a standard portion of 30 grams for the analyzes. The most of the supplement samples were Whey Protein Mix (47%; n = 27). There was no uniformity of sodium contents added to protein supplements, in which 57% (n = 33) had a sodium content in the range from 51 to 100 mg per serving, 24.1% (n = 14) and 3.4% (n = 2) were in the range of 101 to 150 mg and 251 to 300 mg, respectively. Considering the daily recommendation of mineral intake (2,000 mg), the intake of supplements with high concentrations for prolonged periods is worrisome, which is aggravated by consumption higher than the recommended portion in the packaging and association of use with other supplements. Thus, it was concluded that it is interesting to implement measures that stipulate the minimum and maximum quantities of this nutrient in the supplements, for standardization in the formulation of this type of product; besides stimulating the conscious use of these, by means of prudent and adequate prescription by a qualified professional.


Palavras-chave


Rotulagem de alimentos; Suplementos alimentares; Micronutrientes; Proteína; Sódio

Texto completo:

PDF

Referências


-Albuquerque, M.V.; Santos, S.A.; Cerqueira, N.T.V.; Silva, J.A. Educação Alimentar: uma proposta de redução do consumo de aditivos alimentares. Química Nova Escola. Vol. 34. n. 2. p. 51-57. 2012.

-Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico sobre Alimentos para Atletas. Resolução RDC nº18, de 27 de abril de 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 abril de 2010.

-Brownie, S. The development of the US and Australian dietary supplement regulations. Complementary Therapies in Medicine, Vol. 13. Num. 3. 2005. p. 191-198. Disponível em: .

-Malachias, M.V.B.; et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 107. Núm. 3. Supl. 3. p. 1-83. 2016.

-Mcardle W.; Katch, F.I.; Katch, V.L. Vitaminas, Minerais e Água. In: Fisiologia do Exercício. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003, p. 49-82.

-Moreiria, N.M.; Navarro, A.C.; Navarro, F. Consumo de suplementos alimentares em academias de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 8. Núm. 48. p. 363-372. 2014. Disponível em: .

-Nogueira, F.R.S.; Souza, A.A.; Brito, A.F. Prevalência do uso e efeitos de recursos ergogênicos por praticantes de musculação nas academias brasileiras: uma revisão sistematizada. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 1. Núm. 18. p. 16-30. 2013. Disponível em: .

-Pereira, B.B.; Vieira, S.C.R.; Melo, E.F.; Pereira, L.M.F.; Gonçalves, P.A.T.; Santos, Y.W.T.; Albuquerque, V.P.G.; Gadêlha, L.M.; Marques, A.A. O uso de suplementos alimentares por Praticantes de musculação. Rev. e-ciência. Vol. 2. Núm. 5. p. 104-110. 2017. Disponível em: .

-Pimentel, B.G.; Moreira, S.V.M.; Silva, A.F. Avaliação dos rótulos de suplementos esportivos quanto à biodisponibilidade de micronutrientes. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 1. Núm. 1. p. 20-29. 2007. Disponível em: .

-Pires, G.N.; Santos, M.L.C.; Giovenardi, M. Comparação da Concentração de Cálcio e Sódio em Suplementos Alimentares Proteicos Mediante Informações Nutricionais Contidas nos Rótulos dos Produtos. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. Vol. 10. Núm. 2. p. 140-148. 2011.

-Rigon, T.V.; Rossi, R.G.T. Quem e por que utilizam suplementos alimentares?. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 6. Núm. 36. p.420-426. 2012. Disponível em: .

-Santos, G.M.; Sousa, P.V.L.; Oliveira, J.M.S.; Saldanha, N.M.V.P.; Neiva, R.C.; Barros, N.V.A. Análise da rotulagem de suplementos proteicos comercializados na cidade de Teresina-PI. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 12. Núm. 70. p. 255-261. 2018. Disponível em: .

-Silva Junior, S.H.A; Souza, I.; Silva, J.H.A.; Oliveira, J.W.; Souza, M.A. Perfil de atletas de academia: o uso de anabolizantes e suplementos nos programas de atividade física. Revista digital. Vol. 13. n. 119. 2008. Disponível em: .

-Vargas, C.S.; Fernandes, R.H.; Lupion, R. Prevalência de uso dos suplementos nutricionais em praticantes de atividade física de diferentes modalidades. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 9. Núm. 52. p. 343-349. 2015. Disponível em: .

-Who. World Health Organization. A global brief on hypertension: silent killer, global public health crisis. World Health Day 2013. Geneva: World Health Organization; 2013. Disponível em: .


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui