Avaliação corporal de triatletas: uma comparação entre diferentes métodos

  • João Pedro de Freitas Galinari Centro de Ensino Superior de Maringá (UNICESUMAR), Maraingá-PR, Brasil.
  • Gabriel Versari Salvalaggio Centro de Ensino Superior de Maringá (UNICESUMAR), Maraingá-PR, Brasil.
  • Ariana Ferrari Centro de Ensino Superior de Maringá (UNICESUMAR), Maraingá-PR, Brasil.
Palavras-chave: Antropometria, Atletas, Composição corporal

Resumo

O triatlo é um esporte de resistência que vem se popularizando cada vez mais. Objetivo: Este trabalho teve como objetivo comparar diferentes métodos de avaliação da composição corporal em triatletas utilizando métodos de bioimpedância e antropometria. Materiais e métodos: Foram avaliados 24 triatletas (15 do sexo masculino e 9 do sexo feminino) da cidade de Maringá-PR, dos quais foram aferidas: estatura, peso e as pregas cutâneas tricipital, peitoral, subescapular, da coxa, abdominal, axilar média, da panturrilha, bicipital e suprailíaca, e os dados coletados foram inseridos em diversas fórmulas matemáticas, sendo utilizadas para o sexo masculino: Jackson, Pollock (1978), Faulkner (1968), Forsyth e Sinning (1973) e Pollock, Jackson, Jackson (1980), enquanto que para o sexo feminino as fórmula utilizadas foram: Durnin, Womersley (1974), Jackson, Pollock e Ward (1980) e Petroski (1995) e foram obtidos também os percentuais de gordura corporal através de 3 aparelhos de bioimpedância, sendo eles: InBody 570, Biodynamics 310E e OMRON HBF-514C. Resultados: Foi encontrado um maior grau de correlação do método OMRON HBF-514C com o padrão de referência InBody 570, quando avaliado o sexo masculino. Já no caso do sexo feminino foi encontrado que o método de Petroski (1995) apresentou maior correlação com o padrão de referência. Conclusão:  Apesar da alta correlação dos métodos OMRON HBF-514C, no sexo masculino, e Petroski (1995), no sexo feminino, com o padrão de referência InBody 570, não se pode afirmar qual é o método mais fidedigno, por não existirem estudos que validem métodos para este público.

Referências

-Bioespace CO. LTD. Catálogo InBody570. 2013.

-Buscariolo, F.F.; Catalani, M.C.; Dias, L.C.G.D.; Navarro, A.M. Comparação entre os métodos de bioimpedância e antropometria para a avaliação da gordura corporal em atletas do time de futebol feminino de Botucatu-SP. Revista Simbio-Logias. Vol. 1. Num. 1. 2008. p. 122-129.

-Confederação Brasileira de Triathlon-CBTri. Manual de Regras. 2013

-Coutinho, M.H.P.; Pompeu, F.A.M.S. Testes, medidas e avaliação da composição e forma corporal. In: Biesek, S.; Alves, L.A.; Guerra, I. Estratégias de nutrição e suplementação no esporte. 3ª Edição. Manole. 2015. p. 191-215.

-Deminice, R.; Rosa, F. T. Pregas cutâneas vs impedância bioelétrica na avaliação da composição corporal de atletas: uma revisão crítica. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis. Vol. 11. Num. 3. p.334-340. 2009.

-Durnin, J. V. G. A.; Womersley, J. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. Br J Nutr. Vol. 32. p.77-92. 1974.

-Faulkner, J.A. Physiology of swimming and diving. In: Falls, H. Exercise physiology. Baltimore, Academic Press. p.415-446. 1968.

-Forsyth, H.L.; Sinning, W.E. The anthropometric estimation of body density and lean body weight of male athletes. Medicine and Science in Sports. Vol. 5. Num. 3. p.174-180. 1973.

-Guedes, D.P. Procedimentos clínicos utilizados para análise da composição corporal. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 15. Num. 1. 2013. p. 113-129.

-Huygens, W.; Claessens, A.L.; Thomis, M.; Loos, R.; Van Langerdonck, L.; Peeters, M.; e colaboradores. Body composition estimation by IB versus anthropometric equations in body builders and other power athletes. The Journal of Sports Medicine and Physical Fitness. Vol. 40. Num. 1. 2002. p. 45-55.

-Jackson, A.S.; Pollock, M. L. Generalized equations for predicting body density of men. British Journal of Nutrition. Vol. 40. Num. 3. 1978. p. 497-504.

-Jackson, A.S.; Pollock, M.L.; Ward, A. Generalized equations for predicting body density of women. Med Sci Sports Exerc. Vol. 12. p.175-182. 1980.

-Jeukendrup, A.E.; Jentjens, R.L.P.G.; Moseley, L. Nutritional considerations in triathlon. Sports Medicine. Vol. 35. Num. 2. 2005. p. 18-25.

-Kanno, P.; Rabelo, M.; Melo, G.F.; Giavoni, A. Dieta ideal versus desempenho esportivo: um estudo sobre os estereótipos nutricionais aplicados por triatletas. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano. Vol. 11. Num. 4. 2009. p. 444-448.

-Kimura, M.A.; Baxmann, A.C.; Ramos, L.B.; Cupari, L. Avaliação nutricional. In: Cuppari, L. Guias de medicina ambulatorial e hospitalar da EPM-Unifesp: Nutrição clínica no adulto. 3ª edição. Manole. 2014. p. 111-149.

-Leite, M.J.C.I.C. Métodos de avaliação da composição corporal. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade de Porto. Porto. Portugal. 2004

-Malavotti, M.; Mussi C.; Poli, M.; Fantuzzi, AL.; Salvioli, G.; Battistini, N.; Bedogni, G. Cross-calibration of eight-polar bioelectrical impedance analysis versus dual-energy X-ray absorptiometry for the assessment of total and appendicular body composition in healthy subjects aged 21-82 years. Annals of Human Biology. Vol. 30. Num. 4. 2003. p. 380-391.

-Mello, E.D. O que significa a avaliação do estado nutricional. Jornal de Pediatria. Vol. 78. Num. 5. 2002. p. 357-358.

-Miller, R.M.; Chambers, T. L.; Burns, S. P. Validating InBody® 570 Multi-frequency Bioelectrical Impedance Analyser versus DXA for Body Fat Percentage Analysis. Official Research Journal of the American Society of Exercise Physiologists. Vol. 19. Num. 5. 2016. p. 71-78.

-Mussoi, T.D. Avaliação do Estado Nutricional. In: Mussoi, T. D. Avaliação Nutricional na prática clínica: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Vol. 1. 2014a. p. 2-4

-Mussoi, T.D. Avaliação Antropométrica. In: MUSSOI, T. D. Avaliação Nutricional na prática clínica: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Vol. 1. 2014b. p. 6-129

-Navarro, A.M.; Marchini, J.S. Uso de medidas antropométricas para estimar gordura corporal em adultos. Nutrire: Revista da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição. Vol. 19/20. 2000, p. 31-47.

-OMRON HEALTHCARE, INC. Manual de instruções: Balança de Controle Corporal (Balança de Bioimpedância). Modelo HBF-514C. Kioto. Japão. 2014

-Petroski EL. Desenvolvimento e validação de equações generalizadas para a estimativa da densidade corporal em adultos. [Tese de Doutorado]. Santa Maria (RS), Universidade Federal de Santa Maria, 1995.

-Pereira, J.M. O.; Cabral, P. Avaliação dos conhecimentos básicos sobre nutrição de praticantes de musculação em uma academia da cidade de Recife. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 1. Num. 1. 2007. p. 40-47. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/5>

-Reis Filho, A.D.; Ravagnani, F.C.P.; Oliveira, M. P. P.; Fett, C. A.; Zavala, A. A.; Coelho-Ravagnani, C. F. Comparação entre diferentes aparelhos de bioimpedância para avaliação do percentual de gordura. Revista brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 19. Num. 2. 2011. p. 5-12.

-Rodrigues, M.N.; Silva S.C.; Monteiro, W.D.; Farinatti, P.T.V. Estimativa da gordura corporal através de equipamentos de bioimpedância, dobras cutâneas e pesagem hidrostática. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 7. Num. 4. 2001. p. 125-131.

-Rossi, L.; Tirapegui, J. Comparação dos métodos de bioimpedância e equação de Faulkner para avaliação da composição corporal em desportistas. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. Vol. 37. Num. 2. 2001. p. 137-142.

-Vechiato, T.; Costa, T.N.F. Avaliação do estado de hidratação e ingestão hídrica em praticantes de triatlo. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 10. Num. 58. 2016. p. 250-259. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/567>

-Webster, B.L.; Barr, S.I. Body composition analysis of female adolescentathletes: comparing six regression equations. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 25. Num. 5. 1993. p. 648-653.

Publicado
2019-09-19
Como Citar
Galinari, J. P. de F., Salvalaggio, G. V., & Ferrari, A. (2019). Avaliação corporal de triatletas: uma comparação entre diferentes métodos. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(81), 624-631. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1400
Seção
Artigos Científicos - Original