A influência do exercício físico sobre o cortisol e glicose sanguínea de praticantes de atividade física

  • Suelana Marta Nunes Ramos Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão (UNIFACEMA), São Luís-MA, Brasil.
  • Luís Paulo Bezerra de Carvalho Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís-MA, Brasil.
  • Leila Maria de Carvalho Estêvão Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão (UNIFACEMA), São Luís-MA, Brasil.
  • Raphael Rodrigues Bezerra Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís-MA, Brasil.
  • Joyce Lopes Macedo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão (UNIFACEMA), São Luís-MA, Brasil.
  • Francisco das Chagas Araujo Sousa Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina-PI, Brasil.
Palavras-chave: Hidrocortisona, Glicemia, Exercício, Atletas

Resumo

Introdução: A secreção do cortisol está diretamente relacionada à utilização da glicose pelo organismo, devido a sua função antagônica à glicose, por isso a importância da avaliação simultânea de ambos, afim de que sejam considerados fatores associados com o catabolismo proteico muscular e hiperglicemia associada ao exercício físico. Objetivo: Analisar a influência do exercício físico sobre o cortisol e a glicose sanguínea. Metodologia: O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica do tipo integrativa, utilizou-se para a pesquisa as bases de dados: Pubmed, Scielo e o buscador Google acadêmico, priorizando trabalhos publicados entre os anos de 2011 a 2018, totalizando 11 estudos. Resultados: Foi verificado a relação entre os resultados dos parâmetros bioquímicos obtidos, possibilitando avaliar o estresse físico relacionado à intensidade do exercício físico e, em alguns casos, relacionar com a suplementação de carboidratos. Considerações finais: Por meio dos achados, conclui-se que de acordo com o período de tempo e horas dispendidas a prática de exercício físico tem-se uma adaptação do organismo a secreção do cortisol, onde a melhora do desempenho pode estar diretamente relacionada ao uso de carboidrato e que a restrição calórica não é preditora de estresse.

Referências

-Barcarolo, A. A.; Canci, B. T.; Alves, M. K.; Bazzo, K. O. Variações do cortisol salivar em praticantes de dança do ventre. Rev. Bras. Nutr. Esportiva. Vol. 11. Num. 65. 2017. p. 529-535. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/772>

-Campbell, M. D. Implicações metabólicas ao empregar reduções de insulina de ação rápida pré e pós-exercício para prevenir hipoglicemia em pacientes com diabetes Tipo 1: um ensaio clínico randomizado. PLOS ONE. Vol. 9. Num. 5. 2014.

-Coelho, C. S.; Gama, J. A. N.; Lopes, P. F.R.; Souza, V. R.C. Glicemia e concentrações séricas de insulina, triglicérides e cortisol em equinos da raça Mangalarga Marchador após exercício físico. Pesq. Vet. Brasileira. Vol. 31. Num. 9. 2011. p. 756-760.

-Fontan, J. S.; Amadio, M. B. O uso do carboidrato antes da atividade física como recurso ergogênico: revisão sistemática. Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 21. Num. 2. 2015.

-Gasperi, D.; e colaboradores. Cortisol, resposta glicêmica e secreção de insulina em equinos clinicamente sadios submetidos a sessões de hipóxia normobárica. Ciência Rural. Vol. 41. Num.3. 2011. p.463-469.

-Gomes, R. V. Efeitos da utilização de carboidratos sobre respostas fisiológicas e perceptivas durante um jogo de tênis. The Journal of Strength and Conditioning. Vol. 28. Num. 3. 2014. p. 735-741.

-Kong, Z. Treinamento de intervalo de alta intensidade a curto prazo, composição corporal e glicemia em mulheres jovens com sobrepeso e obesas. Journal of Diabetes Research. Vol. 2016. p. 1-9. 2016.

-Mendes, K. D. S.; Silveira, R. C. C. P.; Galvão, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm.,Florianopolis. Vol. 17. Num. 4. 2008. p. 758-764.

-Mendham, A. E. Diferenças nas respostas inflamatórias agudas e glicêmica entre os jogos de pequeno porte e ciclismo em homens de meia idade sedentários. Journal of Science and Medicine in Sport. 2014. p. 1-6.

-Pires, K. C. Avaliação dos níveis séricos de cortisol e glicose em um grupo de indivíduos com Síndrome Metabólica submetidos a um programa de modificação do estilo de vida. XI Salão de Iniciação Científica – PUCRS. 2010. p. 691-693.

-Pupulin, A. R. T.; Patricia, H. B.; Monteiroc, M. A.; Romancini J. L. H.; Pimentel, G. G. A. Efeitos de exercícios físicos e de lazer sobre os níveis de cortisol plasmático em pacientes com AIDS. Rev. Bras. Ciên. Esporte. Vol. 38. Num. 4. 2016. p. 328-333.

-Ribeiro, J. L.; Gutierrez, L. L. P.; Rabbo, M. P. S. Práticas em fisiologia do exercício. Porto Alegre: Editora Universitária Metodista IPA, 2009.

-Silva, A. F.; Andretta, K. R.; Spinelli, E. L.; Boniotti, L. A.; Handa, E. H.; Navarro, F. Influência da suplementação de carboidrato sobre as concentrações de glicose e cortisol na marcha militar. Rev. Bras. Nutr. Esportiva. Vol. 1. Num. 3. 2007. p.18-22. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/23>

-Siqueira, R. F.; Fernandes, W. R. Avaliação da glutamina, amônia e cortisol em cavalos de enduro durante corridas de diferentes distâncias. Braz. J. Vet. Res. Anim. Science: São Paulo, Vol. 52. Num. 3. 2015. p. 205-211.

-Tam, C. S. Nenhum efeito da restrição calórica nos níveis de cortisol salivar em homens e mulheres com excesso de peso. J. Metabolism. Vol. 63. Num. 2. 2014. p. 194-198.

-Torres, A. A. L.; Teodoro, S. T. G. Análise do cortisol salivar livre em atletas fisiculturistas de Brasília, Brasil. EFDeportes.com. Vol. 18. Num. 185. 2013.

-Tricoli, V. A. A.; Moreira, A.; Ugrinowitsch, E. F. C.; Bertuzzi, R. C. M. 40 anos de pós-graduação da EEFE – USP: contribuições para o avanço do conhecimento esportivo. Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte. Vol. 1. Num. 31. 2017. p. 139-154.

-Yamaguti, S. T. F.; Mendonça, A. R. M.; Coelho, D.; Machado, A. L.; Talarico, J. N. S. Secreção atípica de cortisol em profissionais de enfermagem. Rev. Esc. Enfermagem. Vol. 49. Num. 1. 2015. p. 107-114.

-Zacarias, M. Leptina plasmática e gasto energético durante exercício de intensidade moderada em esteira. J. Endocrinol. Investigation. Vol. 36. Num. 1. 2013. p. 396-401.

Publicado
2019-09-19
Como Citar
Ramos, S. M. N., de Carvalho, L. P. B., Estêvão, L. M. de C., Bezerra, R. R., Macedo, J. L., & Sousa, F. das C. A. (2019). A influência do exercício físico sobre o cortisol e glicose sanguínea de praticantes de atividade física. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(81), 666-674. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1417
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##