Aplicabilidade de indicadores alternativos para estimar a gordura corporal de homens e mulheres

  • Guilherme Adroaldo Moraes Pereira Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria-RS, Brasil.
  • Silvana Corrêa Matheus Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria-RS, Brasil.
  • Diego Rodrigo Both Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria-RS, Brasil.
  • Mauri Schwanck Behenck Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria-RS, Brasil.
Palavras-chave: Antropometria, Impedância bioelétrica, Adiposidade, Pesagem hidrostática

Resumo

Introdução e Objetivo: uma das preocupações da área da educação física atualmente é desenvolver técnicas mais eficientes para estimar o percentual de gordura corporal (%GC), dessa forma, o presente estudo teve como objetivo testar a aplicabilidade de indicadores alternativos para estimar a gordura corporal, tendo a pesagem hidrostática (PH) como método de referência. Materiais e Métodos: Foram investigados 280 sujeitos, dos quais se analisou os resultados de percentual de gordura corporal (%GC) obtidos através do método PH e dos indicadores Clínica Universidad de Navarra-Body Adiposity Estimator (CUN-BAE), índice de adiposidade corporal (IAC), equações de estimativa a partir de dobras cutâneas (E-DC) e impedância bioelétrica (IB). Resultados e Discussão: Os resultados indicaram que não foram observadas diferenças significativas entre as medidas de %GC dos indicadores E-DC e IB e a PH para o grupo masculino, no entanto, para o grupo feminino, os valores de %GC apresentaram-se estatisticamente diferentes dos obtidos com o método de referência. O IAC apresentou erro de estimativa aceitável para grupo feminino e o CUN-BAE apresentou tendência de superestimar os valores de %GC. Conclusão: De uma forma geral, os indicadores E-DC e IB foram os que apresentaram os melhores resultados, sendo que o E-DC se mostra mais eficiente para avaliar indivíduos do sexo masculino. Já o IAC demonstrou aplicabilidade moderada para avaliar o grupo feminino, porém o CUN-BAE mostrou-se demasiadamente limitado para avaliar o público em questão.

Referências

-Barros, M.V.G.D.; Reis, R.S; Hallal, P.C.; Florindo, A.A.; Júnior, J.C.D.F. Análise de dados em saúde. Londrina. Midiograf. 2012. p. 307.

-Bergman, R.N.; Stefanovski, D.; Buchanan, T.A.; Sumner, A.E.; Reynolds, J.C.; Sebring, N.G.; Xiang, A.H.; Watanabe, R.M. A Better Index of Body Adiposity. Obesity. Silver Spring. Vol. 19. Num. 5. 2011. p. 1083-1089.

-Bland, J.; Altman, D. Statistical methods for assessing agreement between two methods of clinical measurements. The Lancet. Vol. 1. Num. 8476. 1986. p. 307-310.

-Both, D.R.; Matheus, S.C.; Behenck, M.S. Validação de equações antropométricas específicas e generalizadas para estimativa do percentual de gordura corporal em estudantes de Educação Física do sexo masculino. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. Vol. 29. Num. 1. 2015. p. 13-23.

-Both, D.R. Determinação e concordância dos componentes da composição corporal obtidos a partir de diferentes métodos avaliativos. Dissertação de Mestrado. UFSM-RS. Santa Maria. 2014.

-Byrt, T. How good is that agreement? Epidemiology. Vol. 7. Num. 5. 1996. p. 561.

-Carvalho, A.B.R.D.; Pires-neto, C.S. Desenvolvimento e validação de equações para estimativa da massa corporal magra através da impedância bioelétrica em homens. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 3. Num. 1. 1998. p. 14-21.

-Cohen, J. A coefficient of agreement for nominal scales. Education Psychology. Vol. 20. Num. 1. 1960. p. 37-46.

-Eickemberg, M.; Oliveira, C.C.D.; Roriz, A.K.C.; Sampaio, L.R. Bioimpedância elétrica e sua aplicação em avaliação nutricional. Revista de Nutrição. Vol. 24. Num. 6. 2011. p. 873-882.

-Gadelha, A.B.; Neri, S.G.R.; Safons, M.P.; Moreira, S.R.; Lima, R.M. Comparisons between body adiposity indexes and cutoff values in the prediction of functional disability in older women. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 18. Num. 4. 2016. p. 381-390.

-Goldman, H.I.; Becklake, M.R. Respiratory function tests: normal values of medium altitudes and the prediction of normal results. American Review Respiratory Disease. Vol. 79. Num. 4. 1959. p. 457-467.

-Gomez-ambrosi, J.; Silva, C.; Catalán, V.; Rodríguez, A.; Galofré, J.C.; Escalada, J.; Valentí, V.; Rotellar, F.; Romero, S.; Ramírez, B.; Salvador, J.; Frühbeck, G. Clinical usefulness of a new equation for estimating body fat. Diabetes Care. Vol. 35. Num. 2. 2012. p. 383-388.

-Guedes, D.P. Estudo da gordura corporal através da mensuração dos valores de densidade corporal e da espessura de dobras cutâneas em universitários. Dissertação de Mestrado. UFSM-RS. Santa Maria. 1985.

-Guedes, D.P. Procedimentos clínicos utilizados para análise da composição corporal. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 15. Num. 1. 2013. p. 113-129.

-Heyward, V.; Stolarczyk, L.M. Avaliação da composição corporal aplicada. São Paulo. Malone. 2000.

-Heyward, V. Avaliação Física e Prescrição de Exercícios: técnicas avançadas. Porto Alegre. Artmed. 2013.

-Lara, J.; Siervo, M.; Bertoli, S.; Mathers, J.C.; Battezzati, A.; Ferraris, C. Tagliabue A. Accuracy of three novel predictive methods for measurements of fat mass in healthy older subjects. Aging Clinical and Experimental Research. Vol. 26. Num. 3. 2014. p. 19-325.

-Lohman, T.G. Advances in body composition assessment. Champaign. Human Kinetics Publichers. 1992.

-Malta, D.C.; Iser, B.P.M.; Claro, R.M.; De Moura, L.; Bernal, R.T.I.; Nascimento, A.F.; Da Silva Jr, J.B.; Monteiro, C.A. Prevalência de fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis em adultos: estudo transversal, Brasil, 2011. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 22. Num. 3. 2013. p. 423-434.

-Martins, G.Q.; Matheus, S.C.; Santos, D.L.D.; Both, D.R.; Farinha, J.B.; Martins, M.S. Comparação de equações antropométricas para estimativa da gordura corporal em indivíduos com excesso de peso. Nutrición Clínica y Dietética Hospitalaria. Vol. 35. Num. 3. 2015. p. 27-33.

-Mattsson, S.; Thomas, B.J. Development of methods for body composition studies. Physics in Medicine and Biology. Vol. 51. Num. 13. 2006. p. 203-228.

-Monteiro, A.B.; Fernandes Filho, J. Análise da composição corporal: uma revisão de métodos. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 4. Num. 1. 2002. p. 80-92.

-Mukaka, M.M. Statistics Corner: A guide to appropriate use of Correlation coefficient in medical research. Malawi Medical Journal. Vol. 24. Num. 3. 2012. p. 69-71.

-Petroski, E.L. Antropometria - técnicas e padronizações. Jundiaí. Editora Fontoura. 2011.

-Petroski, E.L. Desenvolvimento e validação de equações generalizadas para a estimativa da densidade corporal em adultos. Tese de Doutorado. UFSM-RS. Santa Maria. 1995.

-Rech, C.R.; Da Silva, A.T.; Lunardi, C.C.; Bohrer, T.; Petroski, E.L. Comparação da absortometria radiológica de dupla energia, antropometria e impedância bioelétrica na avaliação da composição corporal em mulheres. efdeportes. Vol. 10. Num. 91. 2005. p. 1-8.

-Stewart, A.; Marfell-Jones. M.; Olds, T.; Ridder, H.D. International Standards for Anthropometric Assessment. Lower Hutt: The International Society for the Advancement of Kinanthropometry (ISAK); 2011.

-Toro, L.Z.; Polo, J.R.; Díez-tabernilla, M.; Bernal, L.G.; Sebastián, A.A.; Rico, R.C. Fórmula CUN-BAE y factores bioquímicos como marcadores predictivos de obesidad y enfermedad cardiovascular en pacientes pre y post gastrectomía vertical. Nutrición Hospitalaria. Vol. 30. Num. 2. 2014. p. 281-286.

-World Health Organization (WHO) [Internet]. Obesity and overweight. Geneva. 2018. Disponível em: <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/en>

Publicado
2019-09-19
Como Citar
Pereira, G. A. M., Matheus, S. C., Both, D. R., & Behenck, M. S. (2019). Aplicabilidade de indicadores alternativos para estimar a gordura corporal de homens e mulheres. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(81), 713-723. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1425
Seção
Artigos Científicos - Original