Comportamento alimentar e estado nutricional de estudantes de educação física

  • Jamylle Leal da Silva Pinto Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
  • Maria Regina Mariano Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
  • Rafaella Maria Monteiro Sampaio Universidade de Fortaleza (UNIFOR), Fortaleza-CE, Brasil. Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
Palavras-chave: Comportamento alimentar, Estado nutricional, Educação física

Resumo

Objetivo: O objetivo desse estudo é avaliar a relação entre consumo e comportamento alimentar dos acadêmicos de educação física em uma instituição privada de ensino superior no município de Fortaleza-Ceará. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo analítico, quantitativo e transversal, realizado com cem estudantes de educação física. Foi aplicado um questionário de dados pessoais e estilo de vida. Para avaliar o comportamento alimentar foi utilizado o Questionário Holandês do Comportamento Alimentar (QHCA). Foram realizadas avaliações antropométricas utilizando peso e altura. O estado nutricional foi calculado segundo o IMC, de acordo com os padrões de referência da OMS. Resultados: Participaram da pesquisa 100 estudantes do curso de educação física de ambos os sexos, sendo 66 (66,0%) do sexo masculino e 34 (34,0%) do sexo feminino. Quanto aos estilos alimentares, considerando o comportamento geral, o comportamento de homens diferiu significativamente (p=0,02) das mulheres, quando analisados os dados da amostra total. Conclusão: Conclui-se que há diferenças entre homens e mulheres quanto aos aspectos cognitivos e motivacionais envolvidos no comportamento alimentar, com as mulheres apresentando uma maior sensibilidade, no tocante às questões comportamentais.

Biografia do Autor

Jamylle Leal da Silva Pinto, Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
Graduanda em Nutrição pelo Centro Universitário Estácio do Ceará
Maria Regina Mariano, Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
Graduanda em Nutrição pelo Centro Universitário Estácio do Ceará
Rafaella Maria Monteiro Sampaio, Universidade de Fortaleza (UNIFOR), Fortaleza-CE, Brasil. Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
Nutricionista. Doutoranda em Saúde Coletiva. Docente da Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e do Centro Universitário Estácio do Ceará

Referências

-Bosi, M.L.M.; Luiz, R.R.; Uchimura, K.Y.; Oliveira, F.P.D. Comportamento alimentar e imagem corporal entre estudantes de educação física. J bras psiquiatr. Vol. 57. Num. 1. 2008. p. 28-33.

-Brownell, L.K.D.; Rodin, J. The dieting maelstrom. Is it possible and advisable to lose weight? American psychologist. Vol. 48. Num. 9. 1994. p. 781-791.

-Estevam, E.; Guimarães, M. Caracterização do perfil nutricional e dos aspectos ergonômicos relacionados ao trabalho de colaboradores de uma unidade de alimentação e nutrição. Revista científica da faminas. Vol. 9. Num. 2. 2016.

-Freitas, C.; Porto, J.; Cruz, I. Avaliação nutricional dos trabalhadores da construção civil de uma obra em Montes Claros-MG. Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde. Vol. 1. Num. 2. 2015. p. 35-38.

-Leitão, M.; Pimenta, F.; Herédia, T.; Leal, I. Comportamento alimentar, compulsão alimentar, história de peso e estilo de vida: diferenças entre pessoas com obesidade e com uma perda de peso bem-sucedida. Alimentos e Nutrição Araraquara. Vol. 24. Num. 4. 2015. p. 393-401.

-Maciel, E.D.S.; Sonati, J.G.; Modeneze, D.M.; Vasconcelos, J.S.; Vilarta, R. Consumo alimentar, estado nutricional e nível de atividade física em comunidade universitária brasileira. Rev. Nutr. Vol. 25. Num. 6. 2012. p. 707-718.

-Magalhães, P. Comportamento alimentar, estado nutricional e imagem corporal de estudantes de Nutrição: aspectos psicossociais e percurso pedagógico. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências Farmacêuticas. 2011.

-Malta, D.C.; Iser, B.P.M.; Claro, R.M.; Moura, L.D.; Bernal, R.T.I; Nascimento, A.D.F.; Monteiro, C.A. Prevalência de fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis em adultos: estudo transversal, Brasil, 2011. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol.22. Num. 3. 2013. p. 423-434.

-Mielke, G.I.; Ramis, T.R.; Habeyche, E.C.; Oliz, M.M.; Tessmer, M.G.S.; Azevedo, M.R.; Hallal, P.C. Atividade física e fatores associados em universitários do primeiro ano da Universidade Federal de Pelotas. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 15. Num. 1. 2010. p. 57-64.

-Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília. Ministério da Saúde. 2017.

-Monteiro, L.N.; Aerts, D.; Zart, V.B. Estado nutricional de estudantes de escolas públicas e fatores associados em um distrito de saúde do Município de Gravataí, Rio Grande do Sul. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol.19. Num. 3. 2010. p. 271-281.

-Morais, D.V.; Gomes, O.W.; Brito, R.F.C.; Mendes, A.L.R.F.; Santos, Q.A.; Angélica, A.; Silva, F.R. Caracterização do consumo alimentar de praticantes de exercício físico esporádico. Motricidade. Vol. 14. Num. 1. 2018.

-O’Brien, K.S.; Hunter, J.A. Body esteem and eating behaviours in female physical education students. Eat Weight Disord. Brazilian Journal of Nutrition. Vol. 25. Num. 6. 2013. p. 707-718.

-Oliveira, J.S.; Santos, D.O.; Rodrigues, S.J.M.; Oliveira, C.C.; Souza, A.L.C. Avaliação do perfil sociodemográfico, nutricional e alimentar de estudantes de nutrição de uma universidade pública em Lagarto-SE. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. Vol. 8. Num. 2. 2017. p. 37-42.

-Prisco, A.P.K.; Araújo, T.M.D.; Almeida, M.M.G.D.; Santos, K.O.B. Prevalência de transtornos alimentares em trabalhadores urbanos de município do Nordeste do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 18. 2013. p. 1109-1118.

-Ramos, L.; Pereira, M.L.C.; Mota, M.A.; Jacob, T.; Nakaoka, V.Y.; Kashibawakara, V. A transição da desnutrição para a obesidade. Braz J Surg Clin Res. Vol. 5. Num. 1. 2014.

-Santos, M.F.; Lustosa, R.P.; Andrade, J.H.C.; Santos, A.T.; Andrade, R.D.A.; Uchoa, F.N.M. Prevalência e perfil quanto ao uso de recursos ergogênicos entre acadêmicos de Licenciatura em Educação Física. Cinergis. Vol. 18. Num. 2. 2017. p. 121-124.

-Silva, D.A.S. Nível de atividade física e fatores associados em acadêmicos de educação física de uma universidade pública do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 16. Num. 3. 2011. p. 193-198.

-Soder, B.F.; Swanke, N.L.; Borges, T.S.; Todendi, P.F.; Moraes, G.G.; Burgos, M.S. Hábitos alimentares: um estudo com adolescentes entre 10 e 15 anos de uma Escola Estadual de Ensino Fundamental, em Santa Cruz do Sul. Cinergis. Vol. 13. Num. 1. 2012.

-Souza, R.; Ceni, G.C. Uso de suplementos alimentares e autopercepção corporal de praticantes de musculação em academias de Palmeira das Missões-RS. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 8. Num. 43. 2014.

-Van, S.T.; Frijters, J.; Bergers, G.; Defares, P. The Dutch Eating Behavior Questionnaire (DEBQ) for assessment of restrained, emotional, and external eating behaviour. International Journal of Eating Disorders. Vol. 5. Num. 2. 1986. p. 295-315.

-Viana, V.; Sinde, S. Estilo alimentar: Adaptação e validação do questionário holandês do comportamento alimentar. Psicologia: Teoria, Investigação e Prática. Vol. 8. Num. 1-2. 2003. p. 59-71.

-Vitolo, M.R.; Bortolini, G.A.; Horta, R.L. Prevalência de compulsão alimentar entre universitárias de diferentes áreas de estudo. Rev Psiquiatr Rio Grande Sul. Vol. 28. Num. 1. 2006. p. 20-6.

Publicado
2020-08-04
Como Citar
Pinto, J. L. da S., Mariano, M. R., & Sampaio, R. M. M. (2020). Comportamento alimentar e estado nutricional de estudantes de educação física. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(82), 923-929. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1482
Seção
Artigos Científicos - Original