Indivíduos fisicamente ativos submetidos ao tratamento com Tribulus terrestris versus placebo

  • André Rinaldi Fukushima Department of Pathology, School of Veterinary Medicine and Animal Science, University of São Paulo, São Paulo, Brazil; Department of Pathology, School of Veterinary Medicine and Animal Science, University of São Paulo, São Paulo, Brazil.
  • Maria Aparecida Nicoletti Faculty of Pharmaceutical Sciences, University of São Paulo, São Paulo, Brazil.
  • Juliana Weck Peña Muñoz Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, Brasil.
  • Paula Faria Waziry Kiran C Patel College of Osteopathic Medicine, Nova Southeastern University, Fort Lauderdale, Florida, United States of America.
  • Diogo Nunes de Azevedo Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo-SP, Brasil.
  • Fernando Carlos Soares Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, Brasil.
  • Natan Strazzeri Moraes Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Nicolas Vassoler Alves dos Reis Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Raul Mariano dos Reis Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Vinícius de Freitas Moura Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Michael Martini Silva Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Bruno Nascimento Lopes Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, Brazil.
  • Marco Aurelio Lamolha Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
  • Érico Chagas Caperuto Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.
Palavras-chave: Atividade física, Composição corporal, Tribulus terrestris

Resumo

O objetivo do presente estudo é avaliar as diferenças antropométricas, bioquímicas, hormonais e
de desempenho entre indivíduos fisicamente ativos que utilizam (ou não) a suplementação com
Tribulus terrestris (TT). A coorte é composta por 32 indivíduos divididos em dois grupos: 1) 8
indivíduos do sexo masculino e 8 do sexo feminino, fisicamente ativos e que utilizam Tribulus
terrestres; 2) 8 indivíduos do sexo masculino e 8 do sexo feminino que são fisicamente ativos e
utilizam placebo. Os critérios de inclusão para todos os sujeitos consistiram na exigência de idade
entre 18 e 40 anos, histórico de pelo menos 6 meses de atividade física e ausência de qualquer
tratamento / consumo de drogas. Análise da composição corporal, teste de desempenho físico e
coleta de sangue para testes hormonais e bioquímicos subsequentes foram coletados. Os dados
foram processados e analisados com base em testes estatísticos descritivos e ANOVA one-way. Os
resultados foram considerados estatisticamente significantes quando p <0,05. Os resultados
mostram aumento significativo nos níveis de testosterona para mulheres e homens tratados com
TT, diminuição dos níveis de gordura corporal entre as mulheres tratadas, aumento da libido para
indivíduos tratados e aumento da força entre mulheres tratadas. Parâmetros bioquímicos entre
todos os grupos estavam dentro dos limites normais.

Biografia do Autor

André Rinaldi Fukushima, Department of Pathology, School of Veterinary Medicine and Animal Science, University of São Paulo, São Paulo, Brazil; Department of Pathology, School of Veterinary Medicine and Animal Science, University of São Paulo, São Paulo, Brazil.

Possui graduação em Farmácia pela Universidade São Judas Tadeu (2008). Mestrado em Toxicologia e Análises Toxicológicas pela Universidade de São Paulo (2010) e Doutorado em Toxicologia pelo departamento de Patologia Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Foi professor, ministrando a disciplina de Química farmacêutica na Universidade Guarulhos (2010 - 2014). Foi por 8 anos e meio Professor na Universidade São Judas Tadeu nos cursos de farmácia, nutrição, biologia, enfermagem, biomedicina e medicina veterinária. Ministra aulas como professor convidado em duas pós graduações. Tem experiência na área de Toxicologia, com ênfase em Análises Toxicológicas, atuando principalmente nos seguintes temas: drogas de abuso, crack,cocaína, cocaetileno, toxicologia, toxicologia forense, toxicologia dos praguicidas, praguicidas, anticolinesterásicos. Mais recentemente assumiu o cargo de coordenador da pós-graduação em Saúde Coletiva na Universidade São Judas Tadeu - SP, sendo essa a primeira Pós-graduação em Saúde Coletiva ofertada por Universidade Particular pelo periodo de 1 ano. Coordena a área regulação com foco no ENADE no Centro Universitário das Américas (FAM) e é Coordenador de Pesquisa e Extensão na Faculdade de Ciências da Saúde IGESP (FASIG).

Maria Aparecida Nicoletti, Faculty of Pharmaceutical Sciences, University of São Paulo, São Paulo, Brazil.

ossui graduação em Curso de Farmácia e Bioquímica pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas - UNESP - Campus Araraquara (1980), Mestrado em Curso de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (1994) e Doutorado em Curso de Pós-Graduação em Fármaco e Medicamentos pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (1999). É especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Farmácia, com ênfase em desenvolvimento e produção de medicamentos e cosméticos, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de produto, controle de qualidade, estabilidade, farmacotécnica e atenção/assistência farmacêuticas. Foi Docente da Universidade Paulista - UNIP no período de 1995 a 2009 e da Universidade Guarulhos - Ser Educacional no período de 1998 a 2016. É Farmacêutica Responsável da Farmácia Universitária do Departamento de Farmácia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FARMUSP) desde 2003. Ministra o Módulo de Legislação Farmacêutica e Sanitária no Programa de Residência Farmacêutica em Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo, desde 2012. Foi Membro da Câmara Técnica da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (CTA-ANFARMAG).

Juliana Weck Peña Muñoz, Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, Brasil.

Graduanda em Medicina Veterinária pela Universidade São Judas Tadeu (2015-2020), representou o curso de Medicina Veterinária na feira de profissões pela Universidade São Judas Tadeu (2017). Experiência em clínica de pequenos animais, com ênfase em fisioterapia animal. Possui certificações de cursos presenciais nas áreas de Medicina Felina e Animais Silvestres. Participou e colaborou com as atividades do Laboratório de Patologia Comparada de Animais Selvagens da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (2018). Atualmente participa do grupo de Pesquisa de Medicina Veterinária Legal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo.

Paula Faria Waziry, Kiran C Patel College of Osteopathic Medicine, Nova Southeastern University, Fort Lauderdale, Florida, United States of America.

Currently investigating control and alterations of gene expressions between GWI, CFS/Autoimmune diseases patients and normal populations. Both Gulf War Illness (GWI) and Chronic Fatigue Syndrome/Myalgic Encephalomyelitis (CFS/ME) are debilitating disorders without known causes, that affect over 42/10,000 people in the US. Symptoms include fatigue, memory/cognition difficulties, muscular pain, sore throat and tender lymphadenopathy. Symptoms can be triggered by stressful events like exercising and coincide with symptoms of viral infection reactivation. It is believed that viruses may cause both GWI and CFS/ME. Facts supporting this hypothesis: (1) our preliminary Nanostring results show upregulation of viral miRNAs in GWI (unpublished results) and (2) antiviral drugs, such as Acyclovir ameliorate the symptoms of some CFS/ME patients. At a cellular level, a generalized strategy of many pathogenic viruses is the take-over of host-cell functions by disruption of nucleocytoplasmic transport, which prevents cellular innate immunity antiviral responses. All transport to and from the nucleus occurs via nuclear pore complexes (NPCs), which are composed of nucleoporins (Nups). Antiviral Nups are directly targeted by several pathogenic viruses. I am approaching the studies of GWI and CFS/ME by examining possible viral NPC cytopathic effects that might be characteristic of the disorders, so that I’ll be able to identify specific viral particles that will serve as targets for drug intervention. Uncovering alterations of NPC function in GWI and CFS/ME will not only contribute to a possible isolation of viruses, but also help to elucidate complex pathogenic viral mechanisms, revealing key strategies for design and development of therapeutic intervention

Diogo Nunes de Azevedo, Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo-SP, Brasil.

Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Fernando Carlos Soares, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, Brasil.

Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Natan Strazzeri Moraes, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.

- Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Nicolas Vassoler Alves dos Reis, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.

- Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Raul Mariano dos Reis, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.

- Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Vinícius de Freitas Moura, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.

Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Michael Martini Silva, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo.

Possui graduação em Nutrição pela Universidade São Judas Tadeu (2018). Atualmente é nutricionista - Clube Paineiras do Morumbi. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutrição, atuando principalmente nos seguintes temas: physical activity, blood tests, inflammation process, body composition e propolis.

Bruno Nascimento Lopes, Human Movement Lab, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, Brazil.

Nuricionista. Laboratório do Movimento Humano, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo, SP, Brasil.

Referências

-Antonio, J.; Uelmen, J.; Rodriguez, R.; Earnest, C. The effects of Tribulus terrestris on body composition and exercise performance in resistance-trained males. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism. Vol. 10. Núm. 2. p.208-215. 2000.

-Brown, G. A.; Vukovich, M. D.; Martini, E. R.; Kohut, M. L.; Franke, W. D.; Jackson, D. A.; King, D. S. Effects of androstenedione-herbal supplementation on serum sex hormone concentrations in 30-to 59-year-old men. International Journal for Vitamin and Nutrition Research. Vol. 71. Núm. 5. p.293-301. 2001.

-Brown, L. E.; Weir, J. P. ASEP procedures recommendation I: accurate assessment of muscular strength and power. Journal of Exercise Physiology. Vol. 4. Núm. 3. p.1-21. 2001.

-Conselho Federal de Farmácia. Resolução n. 586, de 29 de agosto de 2013. Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. Disponível em http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/586.pdf

-Conselho Federal de Medicina. ABRAN, SBNPE. Utilização da Bioimpedância para Avaliação da Massa Corpórea. Manual do Fabricante. 2009.

-Do, J.; Choi, S.; Choi, J.; Hyun, S.H. Effects and mechanism of action of a Tribulus terrestris extract on penile erection. Korean Journal of Urology. Vol. 54. Núm. 3. p.83-188. 2013.

-El-Tantawy, W. H.; Temraz, A.; El-Gindi, O. D. Free serum testosterone level in male rats treated with Tribulus alatus extracts. International Brazilian Journal of Urology. Vol. 33. Núm. 4. p.554-559. 2007.

-Gauthaman, K.; Adaikan, P. G.; Prasad, R. N. V. Aphrodisiac properties of Tribulus Terrestris extract (Protodioscin) in normal and castrated rats. Life Sciences. Vol. 71. Núm. 12. p.1385-1396. 2002.

-Gibson, R.S. Food consumption of individuals. In: Gibson, R.S. Principles of Nutritional Assessment p.37-54. New York: Oxford University Press. 1990.

-Guazzelli, R. M.; Lima, S. M. R. R.; Postigo, S.; Martins, C. P. B.; Yamada, S. S. Estudo dos efeitos do Tribulus terrestris e da tibolona em mulheres com disfunção do desejo sexual após a menopausa. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Vol. 59. Núm. 1. p.20-26. 2014.

-Jackson, A. S.; Pollock, M. L. Generalized equations for predicting body density of men. British Journal of Nutrition. Vol. 40. Núm. 3. p.497-504. 1978.

-Jackson, A.S.; Pollock, M.L.; Ward, A. Generalized equations for predicting body density of women. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 12. Núm. 3. p.175-182. 1980.

-Kostova, I.; Dinchev D. Saponins in Tribulus terrestris - chemistry and bioactivity. Phytochemistry Reviews. Vol. 4. p.111-113. 2005.

-Lemos-Júnior, H. P.; Lemos, A. L. A.; Lemos, L. M. D. Tribulus terrestris. Diagnóstico e Tratamento. Vol. 16. Núm. 4. p.170-173. 2011.

-Li, M.; Qu, W.; Wang, Y.; Wan, H.; Tian, C. Hypoglycemic effect of saponin from Tribulus terrestris. Zhongyaocai Zhongyaocai Journal of Chinese medicinal materials. Vol. 25. Núm. 6. p.420-422. 2002.

-Melnyk, J. P.; Marcone, M. F. Aphrodisiacs from plant and animal sources-A review of current scientific literature. Food research international. Vol. 44. Núm. 4. p. 840-850. 2011.

-Miraj, S. Tribulus terrestris: Chemistry and pharmacological properties. Der Pharma Chemica. Vol. 8. Núm. 17. p.142-147. 2016.

-Pederson, D.; Gore, C. Error en la medición antropométrica. In: Norton, K., Olds, T, editors. Antropométrica. p.71-86. Argentina: Biosystem Servicio Educativo. 2000.

-Qureshi, A.; Naughton, D.; Petróczi, A. A. A systematic review on the herbal extract Tribulus terrestris and the roots of its putative aphrodisiac and performance enhancing effect. Journal of dietary supplements. Vol. 11. Núm. 1. p. 64-79. 2014.

-Singh, S.; Nair, V.; Gupta, Y. K. Evaluation of the aphrodisiac activity of Tribulus terrestris Linn. in sexually sluggish male albino rats. Journal of Pharmacology & Pharmacotherapeutics. Vol. 3. Núm. 1. p. 43-47. 2012.

Publicado
2021-05-19
Como Citar
Fukushima, A. R., Nicoletti, M. A., MuñozJ. W. P., Waziry, P. F., de Azevedo, D. N., Soares, F. C., Moraes, N. S., dos Reis, N. V. A., dos Reis, R. M., Moura, V. de F., Silva, M. M., Lopes, B. N., Lamolha , M. A., & Chagas Caperuto, Érico. (2021). Indivíduos fisicamente ativos submetidos ao tratamento com Tribulus terrestris versus placebo. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(83), 1017-1036. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1509
Seção
Artigos Científicos - Original