O Consumo de suplementos alimentares em praticantes de atividade fí­sica em academias de Belo Horizonte-MG

  • Vinicius Pimenta Cordeiro Faculdade de Minas FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
  • Diego Mendes Cardoso Faculdade de Minas FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
  • Marcio Leandro Ribeiro de Souza Faculdade de Minas FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Suplemento Alimentar, Praticantes de atividade física, Nutrientes, Academias esportivas

Resumo

O consumo de suplementos alimentares por frequentadores de academias é crescente e, muitas vezes, realizado sem a indicação e acompanhamento de um profissional qualificado. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa foi identificar a prevalência do uso dos suplementos nutricionais por praticantes de atividade fí­sica em academias de Belo Horizonte. Foram avaliados 277 praticantes de atividades fí­sicas (50,9% homens) com idades entre 18 e 59 anos, distribuí­dos entre 28 academias dentre as 9 regiões administrativas da cidade. Todos responderam a um questionário elaborado para essa pesquisa. Destes, 63,2% disseram praticar atividade fí­sica regular há mais de um ano e 51% entre 3 a 6 horas semanais. Quanto ao consumo de suplementos alimentares, 122 (44%) relataram consumir algum suplemento atualmente, e os suplementos mais consumidos foram whey protein, creatina, aminoácidos de cadeia ramificada e pré-treinos. Esse consumo é regular (cinco ou mais vezes por semana) em 33,2% dos voluntários, e 37,7% gastam mensalmente entre R$ 100,00 e R$ 200,00 com esses produtos. Mesmo a maioria relatando saber que o consumo de suplementos sem orientação de um profissional qualificado pode trazer riscos à saúde, apenas 30,3% da amostra teve indicação pelo nutricionista. Este estudo permite concluir que o consumo de suplementos alimentares em frequentadores de academias de Belo Horizonte é frequente e, muitas vezes, realizado sem orientação de um profissional habilitado. Esse estudo reforça a importância de uma educação nutricional com essa população a fim de garantir segurança para o uso desses produtos, buscando melhor saúde e desempenho no exercí­cio.

Biografia do Autor

Vinicius Pimenta Cordeiro, Faculdade de Minas FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Nutricionista

Diego Mendes Cardoso, Faculdade de Minas FAMINAS-BH, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Nutricionista

Referências

-Albuquerque, M.M. Avaliação do consumo de suplementos alimentares nas academias de Guará-DF. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 6. Num. 32. 2012. p.112-117.

-Antunes, A.C. Perfil profissional de instrutores de academias de ginástica e musculação. Revista Digital. Buenos Aires. Ano 9. Num. 60. 2003. p.1.

-Brito, D.S.; Liberali, R. Perfil do consumo de suplemento nutricional por praticantes de exercício físico nas academias da cidade de Vitória da Conquista-BA. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. SãoPaulo. Vol. 6. Num. 31. 2012. p.66-75.

-Brown, A.C. An overview of herb and dietary supplement efficacy, safety and government regulations in the United States with suggested improvements. Part 1 of 5 series. Food Chem Toxicol. Vol. 107. Num. Pt A. 2017. p.449-471.

-Cardoso, K.F.; Leonhardt, V. Avaliação do consumo de suplementos proteicos por praticantes de musculação em uma academia de Planaltina-DF. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 11. Num. 68. 2017. p.1083-1091.

-Cederholm, T.; Bosaeus, I.; Barazzoni, R.; Bauer, J.; Van Gossum, A. Diagnostic criteria for malnutrition - an ESPEN consensus statement. Clin Nutr. Vol. 34. Num. 1. 2015. p. 335–340.

-Deldicque, L.; Francaux, M. Potential harmful effects of dietary supplements in sports medicine. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. Vol. 19. Num. 6. 2016. p.439-445.

-Domingues, S.F.; Marins, J.C.B. Utilização de recursos ergogênicos e suplementos alimentares por praticantes de musculação em Belo Horizonte-MG. Fit Perf J. Vol. 6. Num. 4. 2007. p.218-226.

-Gentil, P. A nutrition and conditioning intervention for natural bodybuilding contest preparation: observations and suggestions. J Int Soc Sports Nutr. Vol. 12. Num. 50. 2015. p.1-3.

-Goston, J.L.; Correia, M.I. Intake of nutritional supplements among people exercising in gyms and influencing factors. Nutrition. Vol. 26. Num. 6. 2010. p.604-611.

-Hernandez, A.J.; Nahas, R.M. Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênica e potenciais riscos à saúde. Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 15. Num. 3. 2009. p. 3-12.

-Jost, P.A.; Poll, F.A. Consumo de suplementos alimentares entre praticantes de atividade física em academias de Santa Cruz do Sul-RS. Cinergis. Vol. 15. Num. 1. 2014. p.10-17.

-Linhares, T.C.; Lima, R.M. Prevalência do uso de suplementos alimentares por praticantes de musculação nas academias de Campos dos Goytacazes-RJ, Brasil. Vértices. Vol. 8. Num. 1. 2006. p.101-122.

-Moreira, N.M; Navarro, A.C.; Navarro, F. Consumo de suplementos alimentares em academias de Cachoeiro de Itapemirim-ES. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 8. Num. 48. 2014. p.363-372.

-Oliveira, E.R.M.; Torres, Z.M.C.; Vieira, R.C.S. Importância dada aos nutricionistas na prática do exercício físico pelos praticantes de musculação em academias de Maceió-AL. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 2. Num. 11. 2008. p.381-389.

-Pereira, B.B.; Vieira, S.C.R.; Melo, E.F.; Pereira, L.M.F.; Goncalves, P.A.T. O uso de suplementos alimentares por praticantes de musculação. Revista E-ciência. Vol. 5. Num. 2. 2017. p.104-110.

-Pereira, R.F.; Lajolo, F.M.; Hirschbruch, M.D. Consumo de suplementos alimentares por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Rev. Nutrição. Vol. 16. Num. 3. 2003. p.265-272.

-Rosa, V.; Perina, F. Consumo de suplementos nutricionais e anabolizantes de frequentadores de academia de Nova Aliança, SP. Revista Científica UNILAGO. 2013. p.13-30.

-Santos, A.V.; Farias, F.O. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de atividades físicas em duas academias de Salvador-BA. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 11. Num. 64. 2017. p.454-461.

-Schneider, C; Machado, C; Laska, S.M.; Liberali, R. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercício físico em academias de musculação de Balneário Camboriú-SC. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 2. Num. 11. 2008. p.307-322.

-White, J.V.; Guenter, P.; Jensen, G.; Malone, A.; Schofield, M. Academy of Nutrition and Dietetics Malnutrition Work Group, A.S.P.E.N. Malnutrition Task Force, A.S.P.E.N. Board of Directors (2012) Consensus statement of the Academy of Nutrition and Dietetics/American Society for Parenteral and Enteral Nutrition: characteristics recommended for the identification and documentation of adult malnutrition (undernutrition). J Acad Nutr Diet. Vol. 112. Num. 1. 2012. p.730-738.

-World Health Organization- WHO. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Genebra, 1995. 452p. (Technical Report Series No. 854).

Publicado
2021-05-20
Como Citar
Cordeiro, V. P., Cardoso, D. M., & Souza, M. L. R. de. (2021). O Consumo de suplementos alimentares em praticantes de atividade fí­sica em academias de Belo Horizonte-MG. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 14(85), 210-221. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1638
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##