Perfil do consumo de termogênicos por praticantes de atividade física em academias e identificação de possíveis efeitos adversos

  • Sara Rayane Soares de Oliveria Graduanda em Nutrição. Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Kathalliny Tavares Barbosa Graduanda em Nutrição. Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Daniel da Silva Melo Graduando em Biomedicina, Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Maria Emanoelly Alves Galindo Graduanda em Nutrição. Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Gabriela Muniz de Albuquerque Melo Beiriz Doutora em Ciências IQB-UFAL, Docente Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Luciana da Silva Viana Doutora em Ciências IQB-UFAL, Docente Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
  • Waléria Dantas Pereira Gusmão Mestre em Nutrição Humana, Docente Centro Universitário Cesmac, Maceió-AL, Brasil.
Palavras-chave: Termogênico, Atividade Física, Suplemento

Resumo

Objetivo: Definir o perfil de consumo de termogênicos nas academias e identificar os possíveis efeitos adversos associados ao uso dessas substâncias. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo transversal, descritivo e de cunho quantitativo, em três academias no estado de Alagoas, duas academias situadas na capital de Maceió e outra na cidade de Palmeira dos Índios, com praticantes de atividade física que consomem suplementos termogênicos, entre 18 e 65 anos de idade, de ambos os sexos, e que aceitaram participar voluntariamente da pesquisa. Resultados e discussão: O estudo teve 217 participantes de ambos os sexos, com a maioria entre 18 e 30 anos, dos quais 64,93% praticavam musculação e aeróbica. Em relação aos suplementos termogênicos, 35,48% dos indivíduos relataram consumir, destes 63,3% apresentaram reações adversas como aumento da temperatura corporal, agitação, dor de cabeças e insônia. Segundo aqueles que usam as substâncias, apenas 35,06% o fazem por indicação de nutricionista; os demais consomem sem orientação de profissional habilitado. Notou-se também o uso de substâncias ilegais que podem trazer diversos efeitos colaterais indesejáveis e prejudiciais à saúde. Conclusão: Grande parte da amostra relatou ter obtido efeitos adversos após o uso de termogênicos, o que pode causar prejuízos à saúde. Sugere-se que campanhas educativas sejam realizadas em academias acerca da importância da orientação de profissional habilitado para indicação e prescrição de suplementos termogênicos de acordo com as quantidades, necessidades e recomendações de horários adequados como fundamentais para o consumo seguro.

Referências

-Altimari, L.; e colaboradores. Efeito ergogênico da cafeína na performance em exercícios de média e longa duração. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Porto. Vol. 5. Num. 1. 2005. p. 87-10.

-Andrade, L. A; Braz, V. G.; Nunes, A. P. O.; Velutto, J. N.; Mendes, R. R. Consumo de suplementos alimentares por pacientes de uma clínica de nutrição esportiva de São Paulo. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 20. Num. 3. 2012. p 27-36.

-ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Suspenso suplemento alimentar Oxielite Pro. 2012. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=2665511&_101_type=content&_101_groupId=219201&_101_urlTitle=suspenso-suplemento-alimentar-oxielite pro&inheritRedirect=true > Acesso em: 15/05/2020.

-Araújo, S. N. Efeitos da cafeína como recurso ergogênico na atividade física: uma revisão. Monografia de Bacharelado em Farmácia. Universidade Federal de Campina Grande. Centro de Educação e Saúde. Cuité. 2019.

-Braga, R.M. Avaliação dos Suplementos Termogênicos mais Comercializados na Cidade de João Pessoa - Uma Abordagem Farmacológica e Social. TCC. Departamento de Ciências Farmacêuticas. Curso de Graduação em Farmácia. João Pessoa. 2014

-Brito, D.S.; Liberali, R. Perfil do consumo de suplemento nutricional por praticantes de exercício físico nas academias da cidade de Vitória da Conquista-BA. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 6. Num. 31. 2012. p. 66-75.

-Conselho Federal de Nutricionistas. Resolução CFN Nº 390, de 27 de outubro de 2006. Regulamenta a prescrição dietética de suplementos nutricionais pelo nutricionista e dá outras providências. Disponível em: <https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_390_2006.htm> Acesso em: 15/05/2020

-Forte, R.Y.; e colaboradores. Infarto do Miocárdio em Atleta Jovem Associado ao Uso de Suplemento Dietético Rico em Efedrina. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. São Paulo. Vol. 87. 2006. p 179- 181.

-Lima, H.X.F.; e colaboradores. Aspectos sobre o consumo de recursos ergogênicos em academias brasileiras. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol. 15. Num. 1. 2015.

-Hirschbruch, M.D.; Pereira, R.F.; Lajolo, F.M. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Revista de Nutrição. Vol. 16. Num. 3. 2003. p. 265-272.

-Júnior, L. C.; Pereira, E. A. A.; Machado, G. J. Efeito de um suplemento termogênico na composição corporal de praticantes de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 13. Núm. 80. 2019.p. 543-542.

-Lopes, M.D.M.; Capela, J.P. Estudo Comparativo da Composição dos Suplementos Alimentares Termogénicos Contendo Cafeína Disponíveis em Portugal. Acta Portuguesa de Nutrição. Núm. 10. p. 24-36. 2017.

-Lopes, P.R.N.R. Efeitos ergogênicos da ingestão de cafeína sobre variáveis bioquímicas e de desempenho anaeróbico. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Universidade Federal de Viçosa. Minas Gerais. 2015.

-Melo, I. C. O.; Bueno, L. O.; Fleury Neto, H. P.; Liberali, R. O consumo de suplementos alimentares em academias de Brasília-DF. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 4. Núm. 24. 2010.p. 489-493.

-Oliveira, A.B.; Mapurunga Filho, J.N.; Melo, M.C.A. Consumo de suplementos termogênicos e seus efeitos adversos por clientes de uma loja de nutrição esportiva de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 11. Num. 62. 2017. p.160-167.

-Pereira, L. P. Utilização de recursos ergogênicos nutricionais e/ou farmacológicos de uma academia da cidade de Barra do Piraí, RJ. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 8. Num. 43. 2014. p.58-64.

-Pereira, R. F.; Ajolo, F. M.; Hirschbruch, M. D. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Revista de Nutrição. Vol. 16. Num. 3. 2003. p. 265-272.

-Phillipps, C. O. Prevalência do uso de suplementos nutricionais pelos praticantes de atividade física, clientes de uma loja de suplementos. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 5. Num. 26. 2011. p.114-121.

-Pontes, M.C.F. Uso de suplementos alimentares por praticantes de musculação em academias de João Pessoa-PB. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 7. Num. 37. 2013. p.19-27.

-Reis Filho, A. D.; Amaral Filho, J. C.; Santini, E.; Coelho-Ravagnani, C. F.; Voltarelli, F. A.; Fett, C. A. Efeitos de um produto termogênico sobre parâmetros bioquímicos e morfológicos relacionados à saúde: um estudo de caso. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 6. Núm. 33. 2012. p.168-177.

-Rocha, L. P; Pereira, M. V. L. Consumo de Suplementos Nutricionais por Praticantes de exercícios físicos em academias. Revista de Nutrição. Vol. 11. 1998. p. 76-82.

-Ronsen, O.; Sundgot-Borten, J.; Maehum, S. Supplement use in nutritional habits in Norwegian elite athletes. Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports.Vol.9. Núm. 28. 1999. p. 28-35.

-Sachdeva, E.; e colaboradores. Coronary Thrombosis Related to Use of Xenadrine® RFA. Texas Heart Institute Journal. Vol. 32. Num. 1. 2005.

-Santos, D. A.; Ramos, L. F. P. Avaliação do conhecimento entre praticantes de atividade física e sedentários sobre os efeitos fisiológicos e adversos dos suplementos termogênicos. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 12. Num. 75. 2018. p 875-883.

-Schmitt, G. C. Análise química e toxicológica de suplementos alimentares e compostos emagrecedores contendo p-sinefrina associada a efedrina, salicina e cafeína. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. Porto Alegre. 2012

-Silva, W.V.S.; e colaboradores. Supplementation prevalence and adverse effects in physical exercise practitioners. Nutrición Hospitalaria. Vol. 29. Num. 1. 2014. p.158-165.

-Silveira, D.F.; Lisbôa, S.D.; Sousa, S.Q. O consumo de suplementos alimentares em academias de ginástica na cidade de Brasília-DF. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 5. Num. 25. 2011. p. 05-13.

-Stohs, S. J.; Badmae, V.A. Review of Natural Stimulant and Non-stimulant Thermogenic Agents. Phytotherapy Research. Vol. 30. 2016. p. 732-740.

-Xavier, J. M. G.; e colaboradores. Perfil dos consumidores de termogênicos em praticantes de atividade física nas academias de Santa Cruz do Capibaribe-PE. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. São Paulo. Vol. 9. Num. 50. 2015. p.172-178.

Publicado
2021-10-22
Como Citar
Oliveria, S. R. S. de, Barbosa, K. T., Melo, D. da S., Galindo, M. E. A., Beiriz, G. M. de A. M., Viana, L. da S., & Gusmão, W. D. P. (2021). Perfil do consumo de termogênicos por praticantes de atividade física em academias e identificação de possíveis efeitos adversos. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 15(92), 194-207. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1789
Seção
Artigos Científicos - Original