Atualidades sobre a suplementação nutricional com beta-alanina no esporte

  • Carolina caberlim Ferreira Discente do curso de Nutrição do Centro Universitário São Camilo
  • Daniela Mariana dos Santos Discente do curso de Nutrição do Centro Universitário São Camilo
  • Renata Furlan Viebig Nutricionista, Especialista em Nutrição Clínica, Mestre em Saúde Pública pela FSP/USP, Doutora em Medicina Preventiva pela FMUSP. Docente do Centro Universitário São Camilo - SP e da Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Rogério Eduardo Tavares Frade Nutricionista Esportivo e Educador Físico. Docente do curso de Nutrição e Educação Física da Universidade de São Caetano do Sul - SP e dos cursos de pós graduação da Estácio, FMU, Fefisa e Enaf
Palavras-chave: Carnosina, Exercício físico, Rendimento, Acidose, Suplementos nutricionais

Resumo

O objetivo deste artigo foi discutir possíveis benefícios, formas de suplementação, riscos e prejuízos da utilização da β-alanina, com base nos dados disponíveis na literatura científica atual. Realizou-se revisão da literatura baseada em publicações nacionais e internacionais (2002-2014), com busca em bases de dados eletrônicas: Lilacs, Pubmed, Scielo, Bireme e Quiron. A β-alanina é obtida pela dieta e é precursora da carnosina, que está fibras musculares e funciona como tampão, agindo contra a fadiga muscular induzida por acidose. Em estudo com universitários norte-americanos, praticantes de wrestling (n=22) e jogadores de futebol (n=15), que consumiram 4g/dia/β-alanina ou placebo durante 8 semanas, o grupo suplementado apresentou aumento de desempenho e maior síntese de massa magra em relação ao placebo (p>0,05). Outro estudo, com remadores belgas (2.000m), verificou aumento de performance após consumo de 5g/dia/β-alanina (sete semanas) (p>0,05). Um estudo realizado em 2014, com 9 esquiadores de elite da Suíça, suplementados com 4,8g/dia/β-alanina durante 5 semanas, mostrou que o suplemento melhorou o desempenho máximo (p=0,02), reduziu o déficit de oxigênio (p=0,06), o acúmulo de lactato (31%) e reforçou a energia aeróbia (p=0,07) desses atletas. Estudo recente com 40 homens, ciclistas treinados e indivíduos não treinados de São Paulo, suplementados com 6,4g/dia/β-alanina (4 semanas), apontou melhora de desempenho físico em treinados (p=0,002) e não treinados (p=0,03). A maioria dos estudos sobre suplementação de β-alanina mostraram aumento de carnosina muscular e melhor desempenho esportivo, tanto em participantes treinados quanto não treinados, supondo que o nível de treinamento não altera a eficácia da suplementação.

 

ABSTRACT

Updates on nutritional supplementations with beta-alanine in sports

The aim of this article was to discuss possible benefits, forms of supplementation, risks and damages of the use of β-alanine, based on available data in current scientific literature. A review of the literature was carried out based on national and international publications (2002-2014), searching in electronic databases: Pubmed, Lilacs, Scielo, Bireme and Quiron. β-alanine is obtained by diet and it is a precursor of carnosine, which is in muscle fibers and acts against muscular fatigue induced by acidosis. In a study with American students, wrestling athletes (n=22) and football players (n=15), who consumed 4g/dia/β-alanine or placebo for 8 weeks, the supplemented group showed increased performance and greater synthesis of lean mass compared to placebo (p>0,05). Another study, with Belgian rowers (2.000m), verified performance boost after consumption of 5g/dia/β-alanine (seven weeks) (p>0,05). A study carried out in 2014, with nine elite skiers in Switzerland, supplemented with 4,8g/dia/β-alanine during 5 weeks, showed that the supplement improved the maximum performance (p=0,02), reduced the oxygen deficit (p=0,06) and lactate accumulation (31%), and reinforced the aerobic energy (p=0,07) of these athletes. Recent study with 40 men, cyclists trained and untrained individuals from São Paulo, supplemented with 6,4g/dia/β-alanine (4 weeks), pointed out physical performance improvement in trained (p=0,002) and untrained (p=0,03). Most studies on β-alanine supplementation showed increased muscle carnosine and better sports performance, both trained and non-trained participants, indicating that the level of training does not alter the effectiveness of supplementation.

Publicado
2015-05-03
Como Citar
Ferreira, C. caberlim, dos Santos, D. M., Viebig, R. F., & Frade, R. E. T. (2015). Atualidades sobre a suplementação nutricional com beta-alanina no esporte. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 9(51), 271-278. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/534
Seção
Artigos Científicos - Revisão