Estado de hidratação em atletas de Futebol americano: uma análise pré e pós-treino

  • Dérick Passos da Invenção Universidade Tiradentes (UNIT)
  • Leonardo Eisenlohr Andrade Universidade Tiradentes (UNIT)
  • Luis Paulo de Souza Gomes Universidade Tiradentes (UNIT)
  • Marcus Vinicius Nascimento Universidade Tiradentes (UNIT)
Palavras-chave: Desidratação, Educação Física, Treinamento, Exercício

Resumo

O presente estudo tem por objetivo analisar o estado de hidratação dos atletas da equipe de futebol americano (na modalidade Full Pads) pré e pós-treino pelos marcadores: massa corporal, coloração e gravidade específica (GE) da urina; vez que o estado de hidratação pode ser um fator determinante para a garantia de um ideal desempenho dos praticantes de atividade física. Peso e urina coletados para análise nos momentos pré e pós-treino, não tendo a comissão técnica qualquer regulação/controle sobre o consumo de líquidos durante o exercício. Os resultados da GE demonstraram pré-treino que 35% dos atletas estavam em condições de desidratação mínima e 65% com desidratação grave (≥1.030 g. ml-1) e no período pós-treino 13% e 87% respectivamente, havendo pela análise estatística diferença significativa (p=0.001) na GE pós-treino. A coloração da urina apresentou pré-treino 87% dos atletas no grupo hidratado, mínimo ou significativo e 13% no grupo grave, pós-treino 22% e 78% respectivamente, com diferença significativa neste segundo momento (p=0.000). As médias de massa corporal não apresentaram variação significativa (p=0.229). Concluiu-se que a inexistência de um prévio controle do estado de hidratação dos atletas, pode ser causa direta de déficit de desempenho para importantes valências físicas como capacidade anaeróbica e força.

 

ABSTRACT

Hydration status in american football athletes: a pre and post-workout analysis

This study aims to analyze the hydration status of athletes of american football team (in Full Pads mode) pre and post workout by markers: body mass, staining and urine specific gravity (SG); Since the hydration status can be a determining factor for ensuring optimal performance of physical activity practitioners. Weight and urine collected for analysis in the pre and post-workout, not having the technical committee any regulation / control of fluid intake during exercise. The results showed SG pre-training 35% of athletes were minimal dehydrating conditions to 65% with severe dehydration (≥1,030 g. ml-1) and the post-training period 13% and 87% respectively, with the analysis statistical significant difference (p=0.001) in the post-workout SG. The color of urine presented pre-training 87% of the athletes in the hydrated group, minimal or significant, and 13% in the severe group, after training 22% and 78% respectively, with significant difference in this second stage (p=0.000). The body mass averages showed no significant variation (p=0.229). It was concluded that the lack of a previous control of hydration status of athletes, can be a direct cause of performance deficit to important physical valences as anaerobic capacity and strength.

Biografia do Autor

Leonardo Eisenlohr Andrade, Universidade Tiradentes (UNIT)
Possui graduação em Direito pela Universidade Tiradentes (2006), Pós-Graduação "lato sensu" em Direito do Trabalho pela Universidade Tiradentes (2008), inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil desde 2007, tendo militado na advocacia desde então, até o ano de 2013, tendo passagens pela Procuradoria do Município de Pacatuba/SE. Ingressou em 2013 e se graduou em 2017 na faculdade de Educação Física - Bacharelado pela Universidade Tiradentes. Membro do Laboratório de Biociência da Motricidade Humana - LABIMH da Universidade Tiradentes - Aracaju - Sergipe, nos grupos de especialistas da Autonomia Funcional e Resistencia Muscular Localizada, tendo passagem anterior pelo grupo de Condicionamento Físico do Idoso.

Referências

-Araújo, H. M. D.; Souza, A. C.; Costa, J. D. J.; Santos, G. J. D. O Clima de Aracaju na Interface com a Geomorfologia de Encostas. Scientia Plena. Vol. 6. Num. 8. 2010.

-Armstrong, L. E.; Maresh, C. M.; Castellani, J. W.; Bergeron, M. F.; Kenefick, R. W.; LaGasse, K. E.; Riebe, D. Urinary indices of hydration status. International journal of sport nutrition. Vol. 4. Num. 3. p. 265-279. 1994

-Armstrong, L. E. Hydration assessment techniques. Nutrition reviews. Vol. 63. Suppl. 1. p. S40-S54. 2005.

-Armstrong, L. E. Assessing hydration status: the elusive gold standard. Journal of the American College of Nutrition. Vol. 26. Suppl. 5. p. 575S-584S. 2007.

-Armstrong, L. E.; Johnson, E. C.; Casa, D. J.; Ganio, M. S.; McDermott, B. P.; Yamamoto, L. M.; Emmanuel, H. The American football uniform: uncompensable heat stress and hyperthermic exhaustion. Journal of athletic training. Vol. 45. Num. 2. p. 117-127. 2010.

-Confederação Brasileira de Futebol Americano. 2013. Disponível em: <http://www.afabonline.com.br>. Acesso em 11 de ago. 2016.

-Da Silva Barroso, S.; De Almeida, B. M.; Da Silva Gonzaga, W.; Lima, R. L. C. P.; Alves, S. R.; Camerino, S.; Prado, E. S. Efeitos da imersão na água sobre os marcadores simples de estado de hidratação durante uma aula de hidroginástica. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 22. Num. 4. p. 5-12. 2014.

-Davis, J. K.; Baker, L. B.; Barnes, K.; Ungaro, C.; Stofan, J. Thermoregulation, Fluid Balance, and Sweat Losses in American Football Players. Sports Med. Vol. 46. Num. 10. p. 1391-1405. 2016.

-De Jesus, J. B. Estimativa do balanço hídrico climatológico e classificação climática pelo método de Thornthwaite e Mather para o município de Aracaju-SE. Scientia Plena. Vol. 11. Num. 5. 2015.

-Gomes, L. S.; Barroso, S. D. S.; Gonzaga, W. D. S.; Prado, E. S. Estado de hidratação em ciclistas após três formas distintas de reposição hídrica. v22n3p89-97. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 22. Num. 3. p. 89-97. 2014.

-Hausen, M. R.; Cordeiro, R. G.; Guttierres, A. P. M. Aspectos relevantes sobre a hidratação no esporte e na atividade física. Rev Hosp Univ Pedro Ernesto. Vol. 12. Num. 4. 2013.

-Humidex index. Canadian Humidex Calculator. Disponível em:

www.csgnetwork.com/canhumidexcalc.html>. Acesso em: 11 de ago. 2016

-Kraft, J. A.; Green, J. M.; Bishop, P. A.; Richardson, M. T.; Neggers, Y. H.; Leeper, J. D. The influence of hydration on anaerobic performance: a review. Research quarterly for exercise and sport. Vol. 83. Num. 2. p. 282-292. 2012.

-Maia, E. C.; Costa, H. A.; Castro Filha, J. G. L. D.; Junior, O. Hydration status in athletes on 15 km street race under elevated heat stress. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 21. Num. 3. p. 187-191. 2015.

-Moreno, I. L., Pastre, C. M., Ferreira, C., de Abreu, L. C., Valenti, V. E., & Vanderlei, L. C. M. Effects of an isotonic beverage on autonomic regulation during and after exercise. Journal of the International Society of Sports Nutrition. Vol. 10. Num. 1. 2013.

-Moreno, I. S., Pastre, C. M., Papoti, M., & Vanderlei, L. C. M. Efeitos da reposição hidroeletrolítica sobre parâmetros cardiorrespiratórios em exercício e recuperação. Motriz. Vol. 18. Num. 1. p. 165-175. 2012.

-Mota, J. C. Sergipe Bravos - História. Sítio virtual. 2015. Disponível em: http://www.sergipebravos.com.br/historia/. Acesso em 11/08/2016.

-Pinto, S. I. F.; Berdacki, V. S.; Biesek, S. Avaliação da perda hídrica e do grau de conhecimento em hidratação de atletas de futebol americano. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 8. Num. 45. 2014. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/454/418>

-Roda, A. A nutrição e o treino de força na patologia. Ver. Medicina Desportiva Informa. Vol. 3. Num. 3. p. 7-8. 2012.

-Rodrigues, R.; Pompermayer, M. G.; De Oliveira Lupion, R.; Manfredini, B. Influência do estado de hidratação sobre a capacidade de produção de força após exercício no calor com e sem ingestão hídrica. Em XII Salão de Iniciação Científica-PUCRS. 2011.

-Rodrigues, R.; Baroni, B. M.; Meyer, F.; Vaz, M. A. Hipo-hidratação e produção de força pelo músculo esquelético: uma breve revisão. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. Vol. 13. Num. 1. 2014.

-Sawka, M. N.; Burke, L. M.; Eichner, E. R.; Maughan, R. J.; Montain, S. J.; Stachenfeld, N. S. American College of Sports Medicine position stand. Exercise and fluid replacement. Medicine and science in sports and exercise. Vol. 39. Num. 2. p. 377-390. 2007.

-Silva, R. P.; Mündel, T.; Natali, A. J.; Bara Filho, M. G.; Lima, J. R.; Alfenas, R. C.; Marins, J. C. Fluid balance of elite Brazilian youth soccer players during consecutive days of training. Journal of sports sciences. Vol. 29. Num. 7. p. 725-732. 2011.

Publicado
2018-02-06
Como Citar
da Invenção, D. P., Andrade, L. E., Gomes, L. P. de S., & Nascimento, M. V. (2018). Estado de hidratação em atletas de Futebol americano: uma análise pré e pós-treino. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 12(69), 68-75. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/989
Seção
Artigos Científicos - Original