Avaliação do estado de saúde de idosos participantes de diferentes programas de atividade física

Carlos Alberto da Silva, Abraham Lincoln de Paula Rodrigues, Maria Juliana de Oliveira Almeida

Resumo


O objetivo do presente estudo foi analisar o perfil de saúde de idosos participantes de Programas de Atividade Física. Foram avaliados 24 idosos de ambos os gêneros com idades entre 67,7 ± 6,1 anos participantes dos programas de atividades físicas Saúde em Movimento e Saúde na Água. Para isto, foi aplicado o questionário de qualidade de vida WHOQOL-BREF, Teste de flexibilidade com o Banco de Wells, Teste de Força de Preensão Manual e o Teste de Caminhada de 6 Minutos. Foi aplicada a correlação de Pearson para verificar a associação entre a qualidade de vida e as aptidões físicas, assumido um nível de significância de 5%. Todos os idosos apresentaram níveis satisfatórios de qualidade de vida (regular/bom) e flexibilidade. Contudo, apenas metade dos participantes apresentaram níveis adequados de força de preensão manual e capacidade cardiorrespiratória. A qualidade de vida não foi correlacionada com as aptidões físicas. Em conclusão, os idosos praticantes de programas de atividade física apresentam resultados satisfatórios para Qualidade de Vida e Flexibilidade, no entanto, estes programas devem focar em exercícios que melhorem a força e aptidão cardiorrespiratória.

 

ABSTRACT

Evaluation of the health status of elderly participants in different physical activity programs

The objective of the present study was to analyze the health profile of elderly participants of Physical Activity Programs. Twenty-four elderly men and women of both sexes, aged 67.7 ± 6.1 years, participated in the physical activities programs Saúde em Movimento and Saúde na Água. For this, the WHOQOL-BREF quality of life questionnaire, Flexibility Test with the Wells Bank, Manual Grip Test and the 6-Minute Walk Test were applied. Pearson's correlation was applied to verify the association between quality of life and physical fitness, assuming a level of significance of 5%. All the elderly presented satisfactory levels of quality of life (regular / good) and flexibility. However, only half of the participants had adequate levels of manual grip strength and cardiopulmonary capacity. Quality of life was not correlated with physical fitness. In conclusion, the elderly practicing physical activity programs present satisfactory results for Quality of Life and Flexibility, however, these programs should focus on exercises that improve cardiorespiratory fitness and fitness.


Palavras-chave


Idosos; Saúde; Atividade física

Texto completo:

PDF

Referências


-Almeida, A.P.P.V.; Veras, R.P.; Doimo, L.A. Avaliação do equilíbrio estático e dinâmico de idosas praticantes de hidroginástica e ginástica. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 12. Num.1. 2010. p. 55-61.

-Bez, J.P.O.; Neri, A.L. Velocidade da marcha, força de preensão e saúde percebida em idosos: dados da rede FIBRA. Ciência e saúde coletiva. Vol. 19. Num. 8. 2014. p. 3343-3353.

-Bohannon, R.W.; Peolsson, A.; Massy-Westropp, N.; Desrosiers, J.; Bear- Lehman, J. Reference values for adult grip strength measured with a Jamar dynamometer: a descriptive meta-analysis. Physiotherapy. Vol. 92. p. 11-15.

-Camões, M.; Fernandes, F.; Silva, B.; Rodrigues, T.; Costa, N.; Bezerra, P. Exercício físico e qualidade de vida em idosos: diferentes contextos socio comportamentais. Motricidade. Vol.12. Num.1. 2016. p. 96-105.

-Confortin, S.C.; Danielewicz, A.L.; Antes, D.L.; Ono, L.M.; D’orsi, E.; Barbosa, A.R. Associação entre doenças crônicas e força de preensão manual de idosos residentes em Florianópolis-SC, Brasil. Revista Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 23. Num. 5. 2018. p. 1675-1685.

-Fidelis, L.T.; Patrizzi, L.J.; Walsh, I.A.P. Influência da prática de exercícios físicos sobre a flexibilidade, força muscular manual, e mobilidade funcional em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol.16. Num. 1. 2013. p. 109-116.

-Fleck, S.J.; Kraemer, W.J. Fundamentos do treinamento de força muscular. Porto Alegre. Artmed. 1999.

-Fontelles, M.J.; Simões, M.G.; Farias, S.H.; Fontelles, R.G.S. Metodologia da pesquisa científica. Diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. 2009.

-Gimaque, J.; Paulo, T.R.S.; Santos, S.F.S. Aptidão Funcional de Idosos Atendidos por um Programa de Atividade Física na região do Baixo Amazonas. Rev. Acta Brasileira do Movimento Humano. Vol. 5. Num. 1. 2015. p.76-88.

-Gorzoni, M.L. Geriatria: Medicina do Século XXI? Medicina. Vol. 50. Num. 3. 2017. p.144-149.

-Hauser, E.; Sandreschi, P.F.; Parizzotto, D.; Araújo, C.C.R.; MAZO, G.Z. Medo de cair e desempenho físico em idosos praticantes de atividade física. Rev. Educ. Fís, Vol. 26. Num. 4. 2015. p. 593-600.

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde 2013: percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas. 2013.

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeção da população do Brasil por sexo e idade para o período de 2000 a 2060. 2017. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?ibge/cnv/projpopbr.def Acesso em: 16 Ago. 2017.

-Mattioli, A.R.; Cavalli, S.A.; Ribeiro, B.J.A.; Silva, C.M. Associação entre força de preensão manual e atividade física em idosos hipertensos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol. 18. Num. 4. 2015. p. 881-891.

-Ministério de Saúde. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas, Área Técnica da Saúde do idoso. Brasília, 2010.

-Monteiro, L.C.; Lopes, P.L. Avaliações para atividades físicas. São Paulo. Editora Fontoura. 2009.

-Nascimento, L.C.S.; Salvi, J.O. Ansiedade, depressão e medicamentos psicotrópicos em idosos instucionalizados no municipio de Ji-Paraná, Rondônia. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research. Vol. 21. Num. 3. 2018. p. 38-42.

-Resende, M.C.; Almeida, C.P.; Favoreto, D.; Miranda, E.G.; Silva, G. P.; Vicente, J.; F.P.; Queiroz, L.A.; Duarte, P.F.; Galicioli, S.C.P. Saúde mental e envelhecimento. Psico. Vol. 42. Num. 1. 2011. p. 31-40.

-Rikli, R.E.; Jones, C.J. Development and validation of a functional fitness test for community-residing older adults. Journal of Aging and Physical Activity. Num. 7. 1999. p. 129-161.

-Silva, M.F.; Goulart, N.B.A.; Lanferdini, F.J.; Marcon, M.; Dias, C.P. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol. 15. Num. 4. 2012. p. 635-642.

-Soares, M.R.; Pereira, C.A.C. Teste de caminhada de seis minutos: Valores de referência para adultos saudáveis no Brasil. Jornal Brasileiro de Pneumologia. Vol. 37. Num. 5. 2011. p. 576-583.

-Tritschler, K. Medida e avaliação em Educação Física e Esportes. São Paulo. Editora Manole. 2003.

-Vagetti, G.C.; Oliveira, V.; Michael, P.S.; Beatriz, P.A.; Tiago, R.A.C.; Wagner, C. Associação do índice de massa corporal com a aptidão funcional de idosas participantes de um programa de atividade física. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Vol. 20. Num. 2. 2017. p. 216-227.

-Wilmore, J.H.; Costil, L.D. Fisiologia do esporte e do exercício. São Paulo. Editora Manole. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui