Estado nutricional de crianças e adolescentes portadores de Síndrome de Down praticantes de Judô

  • Aline Ribeiro da Silva Santos Smith Graduanda Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), São Paulo – SP.
  • Sileno Da Silva Santos Doutorando pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da USP, Associação Desportiva para Deficientes.
  • Regina Celia Da Silva Nutricionista. Mestre em Nutrição Humana Aplicada pela Universidade de São Paulo (USP), Associação Desportiva para Deficientes ADD.
  • Mariana Alvarenga Nutricionista. Mestre em Ciências pela FCF/USP, Docente das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), São Paulo - SP.
Palavras-chave: antropometria, consumo alimentar, esporte, nutrição

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o estado nutricional de crianças e adolescentes portadores de SD praticantes de judô. Trata-se de um estudo de campo transversal, realizado em portadores de SD com idade entre 7 e 17 anos, na cidade de São Paulo. Foram aferidos peso e estatura e comparados com curvas de Cronk, adaptadas para SD e ainda, dobras cutâneas e circunferência do braço. Para o consumo alimentar, utilizou-se recordatório de 24 horas e questionário de frequência alimentar. Foram avaliados 7 crianças e 6 adolescentes portadores de SD, de ambos os gêneros. A maioria encontrou-se com peso (53,8%), circunferência do braço (46,1%) e circunferência muscular do braço (84,6%) adequados e estatura acima do esperado para idade (69,2%). O questionário de frequência alimentar apontou consumo menor que o recomendado pela pirâmide alimentar em 53,8% dos indivíduos para o grupo das frutas e dos cereais. Por outro lado, o consumo de carnes foi acima do recomendado em 46,1%. Mesmo assim, o consumo proteico e de carboidratos foi adequado em 92,6% e 53,8%, respectivamente e o de lipídeos foi menor que o recomendado pelas DRIs em 76,9% dos indivíduos. A maioria não atingiu as RDAs de cálcio, ferro e zinco. Conclui-se que a maioria das crianças e adolescentes com SD praticantes de judô tem estado nutricional normal, no entanto, o consumo alimentar detectou hábitos inadequados causando desequilíbrio entre o macro e micronutrientes.

 

ABSTRACT 

Nutritional status of children and adolescents with down syndrome judo practice

The objective of this study was to evaluate the nutritional status of children and adolescents with DS judo practitioners. It is a study of cross-field, held in DS patients aged 7 to 17, in São Paulo. They were measured weight and height and compared with Cronk curves, adapted to DS and also skinfold and arm circumference. For food consumption, we used 24-hour recall and food frequency questionnaire. They were assessed 7 children and 6 adolescents with SD of both genders. Most met weight (53.8%), arm circumference (46.1%) and arm muscle circumference (84.6%) appropriate and height above the expected range for age (69.2%). The food frequency questionnaire showed lower consumption than recommended by the food pyramid adapted in 53.8% of subjects for the group of fruits and cereals. Moreover, the consumption of meat has been recommended above 46.1%. Nevertheless, protein and carbohydrate intake was adequate for 92.6% and 53.8%, respectively, and the lipid was lower than recommended by DRIs in 76.9% of cases. Most did not reach the calcium, iron and zinc status. It is concluded that most children and adolescents with DS judo practitioners have the normal nutritional status, however, food consumption detected improper habits causing imbalance between the macro and micronutrients.

Referências

-Bosco, S. M. D.; Scherer, F.; Altevogt, C. G. Estado nutricional de portadores de Síndrome de Down no Vale do Taquari. Revista Consciente Saúde. Vol. 2. Num. 2. 2011. p.278-284.

-Brasil, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção à pessoa com Síndrome de Down. Brasília: Ministério da Saúde. 2012.

-Cozzolino, S. M. F. Biodisponibilidade de nutrientes. 2ª edição. Manole. 2007.

-Cronk, C.; Crocker, A. C.; Pueschel, S. M.; Shea, A. M.; Zackai, E.; Pickens, G. Growth Charts for children with Down Syndrome: 1 Month to 18 Years of Age. Pediatrics. 1988.

-Cunningham, C. Síndrome de Down: Uma introdução para pais e cuidadores. 3ª edição. Artimed. 2008. p 79-83.

-Dalpico, F.; Viebeg, R. F.; Nacif, M. A. L. Avaliação do estado nutricional de crianças com Síndrome de Down. Nutrição Brasil. 2004.

-DRI Tables [Internet]. United States Departamento f Agriculture: National Agricultural Library. 2002. Disponível em: <http://fnic.nal.usda.gov/ dietary-guidance/dietary-reference-intakes/dri-tables>.

-Duarte, A. C. G. Avaliação Nutricional: Aspectos clínicos e laboratoriais. Atheneu. 2005.

-FSDown, Fundação Síndrome de Down. A saúde da criança com síndrome de Down, problemas de tireoide. Campinas (SP): FSDOWN. 2009. Disponível em: <http://www.fsdown.org.br/sindrome_down.php>. Acessado em: 06/05/2016.

-Garcia, G. C. B.; Gambardella A. M. D.; Frutuoso, M. F. P. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes de um centro de juventude da cidade de São Paulo. Rev Nutr. Vol. 16. Núm. 1. p.41-50. 2003.

-Giaretta, A.; Ghiorzi, A.R. O ato de comer e as pessoas com Síndrome de Down. Rev Bras Enferm. Brasília. 2009.

-Glaner, M. F. Ãndice de massa corporal como indicativo da gordura corporal comparado à s dobras cutâneas. Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 11. Núm. 4. p. 243-246. 2005.

-Granzotti, J.A.; Paneto, I.L.; Amaral, F.T.; Nunes, M.A. Incidência de cardiopatias congênitas na Síndrome de Down. J Pediatr. (Rio J). 1995.

-Guiselini, M. Aptidão física saúde e bem-estar: fundamentos teóricos e exercícios práticos. 2ª Phorte. 2006.

-Lohman, T. G. Applicability of body composition techniques and constants for children and youth. Exercise and Sports Science Reviews. Núm. 14. p.325-357. 1986.

-Lopes, T. S.; Ferreira, D. M.; Pereira, R. S.; Da Velga, G. V.; De Amartins, V. M. Assessment of anthropometric indexes of children and adolescents with Down syndrome. J Pedriatr. Vol. 84. Núm. 4. p. 350-356. 2008.

-Maughan, R. J. Nutrition in Sport: the Encyclopedia of sports medicine. Oxford: Blackkwell Science. Vol. 7. 2000.

-Mcardle, W. D.; Katch, F. I.; Katch, V. L. Nutrição: para o desporto e o exercício. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2001.

-Mustacchi Z. Curvas padrão pondero-estatural de portadores de Síndrome de Down procedentes da região urbana da cidade de São Paulo. Tese de Doutorado. São Paulo. Faculdades de Ciências Farmacêuticas. 2002.

-Nahas, M. V. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida - Conceitos e Sugestões para um Estilo de Vida Ativo. 2ª edição. Midiograf. 2001.

-Nahas, M. V. Atividade física e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 4ª edição. Midiograf. 2006.

-Ribeiro, L. M. A.; Jacob, C. M. A.; Pastorino, A. C.; Kim, C. A. E; Formin, A. B. F.; Castro, A. P. B. M. Avaliação dos fatores associados a infecções recorrentes e/ou graves em pacientes com síndrome de Down. J Pediatr. 2003.

-Romano, C.; Pettinato, R.; Ragusa, L.; Barone, C.; Alberti, A.; Failla P. Is there a relationship between zinc and the peculiar comorbidities of Down syndrome? DownSyndr Res Pract. Vol. 8. Núm. 1. p.25-28. 2002.

-Schwartzman, J. S. Histórico. In J. S. Schwartzman (Org.), Síndrome de Down. São Paulo. Mackenzie. 1999.

-Silva, A. H.; Cozzolino, S. M. Cálcio In: Cozzolino, S. M. F. (Ed). Biodisponibilidade de Nutrientes. Manole. 2005. p.421-446.

-Silva, L. C. F. S; Scheid, M. M. A; Sousa, V. M. C. S. Avaliação antropométrica e hábitos alimentares de portadores de síndrome de Down da ASIN-São José dos Campos. XII Encontro Latino Americano de iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, Universidade do Vale do Paraíba. São Paulo. 2009.

-Shabayek, M. M. Assessment of the nutritional status of children with special needs in Alexandria: Part I. Nutrient intake and food consumption. J Egyp Public Health Assoc. Vol. 79. Núm. 3-4. p.225-241. 2004.

-Slater B.; Philippi S.T.; Fisberg, R.M.; Latorre, M.R.Validation of a semi-quantitative adolescents food frequency questionnaire applied at public school in São Paulo, Brazil. Eur J Clin Nutr. Vol. 57. Núm. 5. p.629-635. 2003.

-Smith, B. A.; Kubo, M.; Black, D. P.; Holt, K. G. Ulrich, B. D. Efeito da Prática em uma tarefa Novel - andar em uma esteira: Os pré-adolescentes com e sem Síndrome de Down. Am Fisioterapia Assoc. Vol. 87. Núm. 6. p.766-777. 2007.

-Theodoro, L. R.; Blascovi-Assis, S. M. Síndrome de Down: associação de fatores clínicos e alimentares em adolescen¬tes com sobrepeso e obesidade. Psicologia: teoria e práti¬ca. Vol. 11. Núm. 1. p.189-194. 2009.

-Zini, B.; Ricalde, S. R. Características nutricionais das crianças e adolescentes portadoras de Síndrome de Down da APAE de Caxias do Sul e São Marcos-RS. Revista Pediatria. Vol. 31. Núm. 4. p.252-259. 2009.

-World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva. WHO. 1995. (Technical Report Series. 854).

Publicado
2017-06-11
Como Citar
Smith, A. R. da S. S., Santos, S. D. S., Da Silva, R. C., & Alvarenga, M. (2017). Estado nutricional de crianças e adolescentes portadores de Síndrome de Down praticantes de Judô. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 11(64), 410-419. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/818
Seção
Artigos Científicos - Original