Avaliação de rotulagem e determinação de proteínas e amido em whey protein comercializado no Brasil

Elisiana Lima Viana Mendes, Henrique Elias Vieira Mendes, Ronália Leite Alvarenga, Dhionne Correia Gomes

Resumo


Os suplementos alimentares são amplamente utilizados como auxiliadores em dietas específicas para praticantes de atividades físicas. O whey protein é um dos suplementos mais procurados por atletas e praticantes eventuais de atividades físicas, atuando na recuperação muscular pós-exercício. Porém, o uso indiscriminado, motivado pela falta de informações confiáveis e facilidade na aquisição destes, pode causar graves consequências para os consumidores. Como forma de promover o uso racional dos suplementos alimentares, o Brasil possui legislação que controla a rotulagem e comercialização destes produtos, a se citar a RDC 259/2002, a RDC 360/2003 e a RDC 18/2010, entretanto, casos de fraude ainda são recorrentes. Partindo desta premissa, este trabalho teve o objetivo de analisar marcas de whey protein comercializadas no Brasil a fim de averiguar sua adequação aos parâmetros exigidos pela legislação citada. As amostras foram coletadas aleatoriamente em comércio na cidade de Belo Horizonte, sendo quatro marcas nacionais e três importadas. Primeiramente, foi realizada uma análise dos rótulos, a fim de verificar se as marcas seguiam o predisposto pela legislação brasileira. Após, foram realizadas a determinação do teor de proteínas, a fim de verificar sua correspondência com o rótulo, e a determinação qualitativa de amido, a fim de constatar fraudes nos produtos. Todas as marcas estavam conformes em todos os aspectos analisados, evidenciando a efetiva aplicação da legislação e a confiabilidade dos produtos. Porém, ainda se torna necessário um maior controle do uso destas substâncias pela população e um maior alerta sobre os possíveis riscos causados.

 

ABSTRACT 

Evaluation of labeling and determination of proteins and starch in whey protein comercialized in Brazil

Food supplements are widely used in specific diets for physical activity practitioners. Whey protein is one of the most sought after supplements for athletes and eventual practitioners of physical activity, acting on post-exercise muscle recovery. However, the indiscriminate use, motivated by the lack of reliable information and facility in the acquisition, can cause serious consequences for consumers. As a way to promote the rational use of food supplements, Brazil has a legislation that controls the labeling and commercialization of these products, to mention RDC 259/2002, RDC 360/2003 and RDC 18/2010, but cases of fraud are still recurrent. Based on this premise, this work had the objective of analyze seven brands of whey protein marketed in Brazil in order to verify its suitability to the parameters required by the aforementioned legislation. Samples were collected randomly in commerce in the city of Belo Horizonte, four national brands and three imported. First, an analysis of the labels was carried out in order to verify if the brands followed the predisposed by the Brazilian legislation. After that, it were carried out analyzes of protein content in order to verify their correspondence with the label and the qualitative determination of starch in order to verify product fraud. All the brands were approved in every analyzes, evidencing the effective application of the legislation and the reliability of the products. However, there is still a need for greater control of the use of these substances by the population and a greater alert about the possible risks caused.


Palavras-chave


Suplementos nutricionais; Suplementação alimentar; Rotulagem nutricional; Proteínas do soro do leite

Texto completo:

PDF

Referências


-Abrams, D.; Metcalf, D.; Hojjatie, M. Determination of Kjeldahl Nitrogen in Fertilizers by AOAC Official Method SM 978.02: Effect of Copper Sulfate as a Catalyst. Journal of AOAC International. Vol. 97. Núm. 3. 2014. p. 764-767.

-Agapito, N.; Avila, N.M.; Silva, M.A.S. Orientação farmacêutica a praticantes de atividade física de endurance: um estudo de caso. Revista Eletrônica de Farmácia. Vol. 5. Núm. 3. 2008. p. 9-22.

-American Dietetic Association, Dietitians of Canada; American College of Sports Medicine; Rodriguez, N.R.; Di Marco, N.M.; Langley, S. American College of Sports Medicine position stand. Nutrition and athletic performance. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 41. Núm 3. 2009. p. 709-731.

-ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico para Rotulagem de Alimentos Embalados. Resolução da Diretoria Colegiada, Núm. 259 de 20 de setembro de 2002. Brasília. 2002.

-ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados. Resolução da Diretoria Colegiada, Núm. 360 de 23 de dezembro de 2003. Brasília. 2003a.

-ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico de Porções de Alimentos Embalados para fins de Rotulagem Nutricional. Resolução da Diretoria Colegiada, Núm. 359 de 23 de dezembro de 2003. Brasília. 2003b.

-ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico sobre Alimentos para Atletas. Resolução da Diretoria Colegiada, Núm. 18 de 27 de abril de 2010. Brasília. 2010.

-ANVISA. Anvisa proíbe 20 lotes de suplementos proteicos para atletas. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ASCOM. 2014. Disponível em: .

-ANVISA. Suplementos alimentares: documento de base para discussão regulatória. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Gerência-Geral de Alimentos. 2017. Disponível em: .

-Bezerra, C.C.; Macedo, E.M.C. Consumo de suplementos a base de proteína e o conhecimento sobre alimentos proteicos por praticantes de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 7. Núm. 40. 2013. p. 224-232.

-Borshein, E.; Aarsland, A.; Wolfe, R.R. Effect of an amino acids, protein, and carbohydrate mixture in net muscle protein balance after resistance exercise. International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism. Vol. 14. Núm. 3. 2004. p. 255-271.

-Casagranda, M.; Vicenzi, K.M. Adequação da rotulagem de suplementos de cafeína para atletas em relação à legislação brasileira. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 10. Núm. 60. 2016. p. 666-672. Disponível em:

-Correa, D.B.; Navarro, A.C. Distribuição de respostas dos praticantes de atividade física com relação à utilização de suplementos alimentares e o acompanhamento nutricional numa academia de Natal/RN. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 8. Núm. 43. 2014. p. 35-50. Disponível em:

-Gaudiano, M.C.; Manna, L.; Bartolomei, M.; Rodomonte, A.L.; Bertocchi, P.; Antoniella, E.; Romanini, L.; Alimonti, S.; Rufini, L.; Valvo, L. Health risks related to illegal and on-line sale of drugs and food supplements: results of a survey on marketed products in Italy from 2011 to 2013. Annali dell’Istituto Superiore di Sanitá. Vol. 52. Núm. 1. 2016. p. 128-132.

-Gillespie, A.L.; Calderwood, D.; Hobson, L.; Green, B.D. Whey proteins have beneficial effects on intestinal enteroendocrine cells stimulating cell growth and increasing the production and secretion of incretin hormones. Food Chemistry. Vol. 189. 2015. p. 120-28.

-INMETRO. Programa de análise de produtos: Relatório final sobre a análise em suplementos proteicos para atletas – Whey protein. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e tecnologia – INMETRO. 2014. Disponível em: .

-Instituto Adolfo Lutz. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 1.ed. São Paulo. Instituto Adolfo Lutz. 2008.

-Kleiner, S.M.; Robinson, M.G. Nutrição para o treinamento de força. 1.ed. Barueri. Manole. 2002.

-LANAGRO. Determinação de Nitrogênio Total em Leite e derivados Lácteos pelo método de Micro-Kjedahl. Ministério da Agricultura – Laboratório Nacional Agropecuário – LANAGRO. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/laboratorios/legislacoes-e-metodos/arquivos-metodos-da-area-poa-iqa/met-poa-11-02-proteinas.pdf. 2013.

-Lobanco, C.M.; Vedovato, G.M.; Cano, C.B.; Bastos, D.H.M. Fidedignidade de rótulos de alimentos comercializados no município de São Paulo, SP. Revista de Saúde Pública. Vol. 43. Núm. 3. 2009. p. 1-6.

-Menon, C.; Santos, J.S.S. Consumo de proteína por praticantes de musculação que objetivam hipertrofia muscular. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 18. Núm. 1. 2012. p. 8-12.

-Oliveira, L.C.B.P.; Laruccia, G.S.; Melo, K.C.A.; Diniz, I.G.; Araújo, L.B.A. Análise centesimal e comparativa de suplementos de proteína do soro do leite bovino: whey protein. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 9. Núm. 51. 2015. p. 223-231. Disponível em:

-Oliveira, E.R.M.; Sousa, E.C.; Galdos-Riveros, A.C. Avaliação do teor de proteína em amostras de whey protein em Brasilia – DF. Enciclopédia Biosfera. Vol. 13. Núm. 24. 2016. p. 1424-1432.

-Pellegrini, M.C.; Corrêa, F.S.; Barbosa, M.R. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de musculação da cidade de São Carlos-SP. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 11. Núm. 61. 2017. p. 59-73. Disponível em:

-Pinheiro, M.C.; Navarro, A.C. Adequação da rotulagem nutricional de repositores energéticos comercializados no Distrito Federal. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 2. Núm. 9. 2008. p. 106-118. Disponível em:

-Rondanelli, M.; Klersy, C.; Terracol, G.; Talluri, J.; Maugeri, R.; Guido, D.; Faliva, M.A.; Solerte, B.S.; Fioravanti, M.; Lukaski, H.; Perna, S. Whey protein, amino acids, and vitamin D supplementation with physical activity increases fat-free mass and strength, functionality, and quality of life and decreases inflammation in sarcopenic elderly. The American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 103. Núm. 3. 2016. p. 830-840.

-Schneider, C.; Machado, C.; Laska, S.M.; Liberali, R. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercício físico em academias de musculação de Balneário Camboriú-SC. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 2. Núm. 11. 2008. p. 307-322. Disponível em:

-Silva, L.V.; Souza, S.V.C. Qualidade de suplementos proteicos: avaliação da composição e rotulagem. Revista do Instituto Adolfo Lutz. Vol. 75. Núm. 1703. 2016. p. 1-17.

-Silveira, F.A. Corpos sonhados-vividos: A questão do corpo em Foucault e Merleau-Ponty. Tese de doutorado. USP. Ribeirão Preto. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui