Efeito da suplementação com carboidrato no desempenho de corredores

  • Carlos André Salvadeo Junior Faculdade de Tietê, Universidade Brasil, São Paulo-SP, Brasil
  • Claudio Oliveira Assumpção Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Movimento Humano, Instituto de Educação Física e Esportes, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza-CE, Brasil.
  • Marcelo Conte Pós-graduação em Fisiologia do Exercício e Treinamento, Faculdade Anhanguera Educacional de Sorocaba. Sorocaba-SP, Brasil.
  • Luis Felipe Milano Teixeira Universidade de Sorocaba, Sorocaba-SP, Brasil. Grupo de Estudo e Pesquisa em Exercício Física e Adaptações Neuromusculares (GEPEFAN), Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas-SP, Brasil. Departamento de Atividade Física Adaptada, Faculdade de Educação Física, Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas-SP, Brasil.
Palavras-chave: Carboidrato, Intensidade do exercício, Suplementação

Resumo

O objetivo do presente estudo foi identificar se a suplementação de carboidrato (CHO) pode melhorar o desempenho em atividades de alta intensidade e média duração. Participaram do estudo 6 corredores do gênero masculino, treinados e hígidos, com 30 ± 6,4 anos, 171,3 ± 2,8 metros, 74,1 ± 4,6 Kg; VO2máx de 49 ± 3,7 ml/kl/min, velocidade do Lan de 10,8 ± 0,5 Km/h e com experiência média de 3,1 ± 1,8 anos na modalidade. Após seleção dos sujeitos todos foram submetidos a testes de potência aeróbia e composição corporal. Cada sujeito foi submetido a duas situações experimentais, I) 30 minutos de corrida em esteira com intensidade correspondente ao Limiar anaeróbio (LAn) com suplementação de CHO seguidos de 10 minutos contra o relógio e II) 30 minutos de corrida em esteira com intensidade correspondente ao LAn, sem suplementação de CHO e utilização de substância placebo seguidos de 10 minutos contra o relógio. Observamos que a velocidade média no contrarrelógio e o VO2máx no LAn apresentaram diferenças significantes (aumento de 5,69% e supressão de 4,18% respectivamente), já a frequência cardíaca não apresentou diferença estatística entre as condições placebo e CHO. Concluímos que houve melhora nos resultados apresentados com a suplementação de CHO, podendo ser uma estratégia para melhorar o desempenho em corridas de curta duração e alta intensidade.

 

Effects of carbohydrate supplementation on runners performance

This study aimed to identify as a carbohydrate (CHO) supplementation can improve performance in high intensity and medium duration activities. Six healthy, trained male runners, aged 30 ± 6.4 years, 171.3 ± 2.8 meters, 74.1 ± 4.6 kg, were included in the study; VO2max of 49 ± 3.7 ml/kg/min, of Lan velocity 10.8 ± 0.5 Km/h and mean of 3.1 ± 1.8 years in the modality. After the passage of the fingers, they were submitted to testes of aerobic power and body composition. Each subject was submitted to two experimental situations, I) 30 minutes of treadmill with the same content as expected Anaerobic threshold (LAn) with CHO supplementation followed by 10 minutes to run against the clock and, II) 30 minutes of treadmill running with intensity corresponding to LAn, without supplementation of CHO and use of placebo substance followed by 10 minutes to run against the clock. We observed that the mean velocity in the run against the clock and the VO2max in LAn showed significant differences (increase of 5.69% and suppression of 4.18%), already occurred with placebo and CHO. We concluded that there was improvement in the results presented with a supplementation of CHO, and it was a strategy to improve performance in short duration and high intensity races.

Biografia do Autor

Carlos André Salvadeo Junior, Faculdade de Tietê, Universidade Brasil, São Paulo-SP, Brasil
Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Faculdade Integração Tietê FIT, Bacharelado em Educação Física pela Uirapuru Superior/Anhanguera Educacional. Especialização em Fisiologia do Exercício e Treinamento pela Faculdade Anhanguera Educacional de Sorocaba. Especialização em Medicina do Esporte e da Atividade Física pela Faculdade Estácio de Sá. Atua ou possui experiência na área de Educação Física escolar, ginástica laboral, natação, preparação física de esportes coletivos (Voleibol Feminino e Futebol Masculino), Treinamento de goleiros de futebol, personal trainer (enfase em musculação), docente no ensino superior e Coordenador do curso de Educação Física da Faculdade Integração Tietê FIT/UNIESP, coordenação técnica de campeonatos de futebol e futsal do Município de Tietê/SP e técnico desportivo.
Claudio Oliveira Assumpção, Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Movimento Humano, Instituto de Educação Física e Esportes, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza-CE, Brasil.
Possui graduação em Educação Física, especialização em Fisiologia do Esforço e mestrado em Educação Física pela Universidade Metodista de Piracicaba-UNIMEP (1999, 2001 e 2006 respectivamente); Doutorado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias pelo Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" UNESP campus de Rio Claro em 2014, onde é Membro do Laboratório de Avaliação da Performance Humana-LAPH. Atualmente é Professor Adjunto I junto ao Instituto de Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Ceará (IEFES-UFC) em Fortaleza, onde coordena o Laboratório de Fisiologia do Exercício e Performance Humana (LAFEPH) e lidera o Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do Movimento Humano cadastrado no CNPq. Atua principalmente nos seguintes temas: dano muscular, economia de movimento, alterações cinéticas e cinemáticas induzidas pelo exercício, efeito protetor, alterações bioquímicas e endócrinas induzidas pelo exercício, qualidade de vida, treinamento aeróbio e resistido, aptidão física. 
Marcelo Conte, Pós-graduação em Fisiologia do Exercício e Treinamento, Faculdade Anhanguera Educacional de Sorocaba. Sorocaba-SP, Brasil.
Formado em Educação Física, possui Mestrado em Educação Física (Linha de Pesquisa: Ciências do Esporte) pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorado em Medicina (Linha de Pesquisa: Oftalmologia Esportiva) pela Universidade Federal de São Paulo - Departamento de Oftalmologia. Professor titular da Escola Superior de Educação Física de Jundiaí, professor convidado no curso de Especialização da ESEFJ e Orientador no Programa de Pós Graduação em Oftalmologia e Ciências Visuais (Mestrado Profissional) da UNIFESP (Linha de Pesquisa: Oftalmologia Esportiva). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Ciências do Esporte e Oftalmologia Esportiva, atuando principalmente nos seguintes temas: fisiologia humana e fisiologia do exercício, treinamento resistido e oftalmologia esportiva. Coordenador Técnico-Científico do BOS FIT (Centro de Atividades Físicas do Banco de Olhos de Sorocaba-Hospital Oftalmológico de Sorocaba), Presidente do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ciências do Esporte e Coordenador do Grupo de Estudos em Esportes a Motor e Performance Física.
Luis Felipe Milano Teixeira, Universidade de Sorocaba, Sorocaba-SP, Brasil. Grupo de Estudo e Pesquisa em Exercício Física e Adaptações Neuromusculares (GEPEFAN), Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas-SP, Brasil. Departamento de Atividade Física Adaptada, Faculdade de Educação Física, Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas-SP, Brasil.
Luis Felipe Milano Teixeira é Doutorando em Educação Física pela Universidade de Campinas (Linha de Pesquisa: Educação Física Adaptada - UNICAMP), Mestre em Educação Física pela Universidade Metodista de Piracicaba (Linha de Pesquisa: Performance Humana - UNIMEP - 2008), especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade de São Paulo (ICB-USP - 2004), e graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física de Jundiaí (ESEFJ - 2002). Atualmente é Docente na Universidade de Sorocaba, além de professor convidado nos cursos de especialização da ESEFJ e FEFISO, também atua como professor efetivo da rede de ensino do Município de Sorocaba e como Coordenador Operacional do Centro de Atividade Física do Hospital Oftalmológico de Sorocaba (BOS-Sorocaba), é membro pesquisador do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Ciências do Esporte (NEPECE,BOS-Sorocaba), membro pesquisador do grupo de estudo e pesquisa em exercício físico e adaptações neuromusculares (GEPEFAN-UNICAMP) e líder pesquisador do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Saúde e Envelhecimento (NEPESE, UNISO, Sorocaba).

Referências

-Alves, J. P.; Macalossi, A. L.; Nunes, R. B.; Navarro, F. Efeito da suplementação de Carboidrato em gel sobre o desempenho físico e a resposta glicêmica em testes de natação de 12 minutos. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício. Vol. 11. Num. 1. 2012. p. 27-29.

-American College of Sports Medicine. Nutrition and athletic performance. Joint Position Statement, American Dietetic Association of Canadá, 2009a.

-American College of Sports Medicine. Position of the American Dietetic Associantion, Dietitians of Canadá, and the American College of Sport Medicine. Nutrition and Atheletic Performance. Journal of the American Dietetic Association, Canadá, 2009b.

-Below, P. R.; Rodrigues, R. M.; Alonso, J. G.; Coyle, E. F. Fluid and carbohydrate ingestion independently improve performance during 1h of intense exercise. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 27. Num. 2. 1995. p. 200-210.

-Cyrino, E. S.; Zucas, S. M. Influência da ingestão de carboidratos sobre o desempenho físico. Revista de Educação Física/UEM, Vol. 10. Num. 1999. p. 73-79.

-Dutra, R. B.; Silveira, D.S.; Peixoto, T.; Navarro, F. Alterações na concentração de glicose no sangue durante exercício intermitente realizado em esteira a 70%, 80% e 90% do VO2máx estimado. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. Vol. 3. Num. 17. 2009. p. 456-462. Disponível em: <http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/194>

-Ferreira, A. M. D.; Ribeiro; Ribeiro, B. G.; Soares, E. A. Consumo de carboidrato e lipídios no desempenho em exercícios de ultra resistência. Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 7. Num. 2. 2001 p. 67-74.

-Fontan, J.S.; Amadio, M.B. O uso do carboidrato antes da atividade física como recurso ergogênico: revisão sistemática. Rev Bras Med Esporte. Vol. 21 Num. 2 2015. p. 153-157.

-Gonçalves, A.C.; Guerrao, CJ.C.M.; Pelegrini, R.M. Efeito da ingestão de carboidrato sobre o desempenho físico durante treino de ciclismo indoor. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 11. Num. 62. 2017 p.185-191. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/752>

-Gualano, B.; Roschel, H.; Lancha-JR, A.H.; Brighybill, C.E.; Rawson, E.S. In sickness and in health: the widespread application of creatine supplementation. Amino Acids. Vol. 43. Num. 2. 2012. p. 519-529.

-Mamus, R.; Santos, M. G. Efeitos da suplementação de carboidrato após uma competição simulada de Short Duatlhon Terrestre. Rev. Port. Cienc. Desp. Vol. 6 Num. 1 2006. p. 29-37.

-Mcardle, Willian D.; Katch, Frank I.; Katch, Victor L. Fisiologia do exercício. Nutrição, energia e desempenho humano. Rio de Janeiro. Ed. Guanabara Koogan, 2011.

-Rocha, F. S.; Silva, P.F.; Targa, R. M. O.; Sarlo, V. Estudo da necessidade de suplementação no treinamento de força: Analise do comportamento da glicemia durante um treino de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 2. Num. 12. 2008. p. 452-461. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/89>

-Silveira, P. P.; Conte, M. A influência do consumo prévio de carboidrato na curva glicêmica e desempenho em teste de esforço. Revista Pulsar. Vol. 3. Num. 1. 2001. p. 1-10.

Publicado
2019-01-25
Como Citar
Salvadeo Junior, C. A., Assumpção, C. O., Conte, M., & Teixeira, L. F. M. (2019). Efeito da suplementação com carboidrato no desempenho de corredores. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(77), 123-130. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1265
Seção
Artigos Científicos - Original