Nível de conhecimento e hábitos de recursos ergogênicos de Judocas

Mônica Cristina Lopes do Carmo, Renata Aparecida Rodrigues de Oliveira, João Carlos Bouzas Marins

Resumo


O consumo de recursos ergogênicos tem se mostrado cada vez maiores por atletas que visam uma melhora no rendimento. Este estudo teve como objetivo avaliar o nível de conhecimento e hábitos de consumo de recursos ergogênicos (RE) em judocas. Participaram do estudo 144 atletas, pertencentes à diferentes clubes de lutas, com 18 + 4,61 anos e 60 + 14 meses de treinamento. Foi aplicado um questionário para obtenção de dados sobre conhecimento e consumo de RE pelos atletas. Observou-se que 80% dos atletas já obtiveram informações sobre RE, porém a maioria destas informações provém de fontes não fidedignas. Aproximadamente 13 % dos judocas tiveram orientação por um profissional de nutrição, as demais foram obtidas por fontes alternativas. Três suplementos foram citados como mais conhecidos: albumina (34,03%), whey protein (27,78%), maltodextrina (27,78%), sendo que 80% da amostra fazem uso de tais produtos de forma esporádica. Quanto ao uso de anabolizantes uma grande porcentagem (80%) fez, ou conhece quem tenha feito uso. Conclui-se dessa forma que os atletas apresentam informações insuficientes e certos hábitos inadequados de RE, o que propicia um menor rendimento nos treinamentos e competições.

 

ABSTRACT

Knowledge level and habits of resources ergogenic in judokas

The consumption of resource ergogenic has proved each for more in athletes aiming at improvemed in income. The present study aimed to assess the level of knowledge and consumption habits of resource ergogenic (RE) in judokas. The participants of the study 144 athletes belonging to different clubs fights, with 18 + 4.61 years and 60 +14 months of training. Questionnaire was applied to obtain data about knowledge and consumption of RE for athletes. It was observed that 80% of athletes already obtained information about RE, and a majority of these que information comes from sources no reliable. Approximate 13% of judokas had orientation for a professional nutrition, as too were obtained in alternative sources. Three supplements were as mentioned popularity: albumin (34.03%), whey protein (27.78%), maltodextrin (27.78%), with 80% of sample que make use of such sporadic products. By the use of anabolic a large percentage (80%) did, or know who has made use. We conclude that athletes have certain habits and insufficient information unsuitable of RE, what hum provides less income in training and competitions.


Palavras-chave


Nutrição; Suplementos Alimentares; Doping nos esportes; Esportes

Texto completo:

PDF

Referências


-Altermann, A. M.; Dias, C. S.; Luiz, M. V.; Navarro, F. A influência da cafeína como recurso ergogênico no exercício físico: sua ação e efeitos colaterais. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 2. Núm 10. p.225-239. 2008. Disponível em:

-Altimari, L. R., Serpeloni E.; Cyrino, S. M. Z.; Okano, A. H.; Burini, R. C. Cafeína: ergogênico nutricional no esporte. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 9. Núm 3. p. 57-64. 2001.

-Amtmann, J. A. Self-reported training methods of mixed martial artists at a regional reality fighting event. The Journal of Strength & Conditioning Research. Vol. 18. Num. 1. p.194-196. 2004.

-Araújo, L.; Andreolo J.; Silva, M. S. Utilização de suplemento alimentar e anabolizante por praticantes de musculação nas academias de Goiânia-GO. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 10. Núm. 3. 2002.

-Bassit, R. A.; Malverdi, M. A. Avaliação nutricional de triatletas. Revista Paulista de Educação Física. Vol. 12. Núm 1. p.42-53. 1998.

-Biedermann, S. A.; Rezende, C. B. N. L.; Rosário, P. P.; Sampaio, H. D. O. Verificação do conhecimento que os técnicos de ciclismo do Brasil possuem sobre alimentação para atletas. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 3. Núm. 17. p. 400-415. 2009. Disponível em:

-Braggion, G. F. Suplementação alimentar na atividade física e no esporte: aspectos legais na conduta do nutricionista. Nutrição Profissional. Vol. 4. Núm. 17. p.40-50. 2008.

-Brito, C. J.; Marins, J. C. B. Caracterização das práticas sobre hidratação em atletas da modalidade de judô no estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 13. Núm. 2. p.59-74. 2005.

-Brouns, F. Fundamentos para nutrição para os desportos, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2005.

-Costa, H.; Rogatto H. Consumo de suplementos alimentares em homens jovens praticantes de musculação em academias de Cuiabá-MT-Brasil. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol 4. Núm. 14. p.270. 2006.

-Cruz, M. A. E.; Cabral C. A. C.; Marins, J.C.B. Nível de conhecimento e hábitos de hidratação dos atletas de mountain bike. Fitness & performance journal. Vol. 8. Núm 2. p. 79-89. 2009.

-Domingues, S. F.; Marins, J. C. B. Utilização de recursos ergogênicos e suplementos alimentares por praticantes de musculação em Belo Horizonte-MG. Fitness & performance journal. Vol. 6. Núm. 4. p.218-226. 2007.

-Drigo, A. J.; Amorim, A.; Martins, C. J.; Molina, R. Demanda metabólica em lutas de projeção e de solo no judô: estudo pelo lactato sanguíneo. Motriz. Vol. 2. Núm. 2 p.80-86. 1996.

-Drumond, M. G.; Carvalho, F. R.; Guimarães, E. M. A. Hidratação em atletas adolescentes-Hábitos e nível de conhecimento. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 1. Núm. 2. p.76-93. 2007. Disponível em:

-Ferreira, A. M. D.; Barbosa, P. E. B.; Ceddia, R. B. A influência da suplementação de triglicerídeos de cadeia média no desempenho em exercícios de ultra-resistência. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 9. Núm. 6. p. 413-419. 2003.

-Hallak, A.; Fabrini, S.; Peluzio, M. C. G. Avaliação do consumo de suplementos nutricionais em academias da zona sul de Belo Horizonte, MG, Brasil. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 1. Núm. 2. p. 55-60. 2012. Disponível em:

-Hernandez, A. J.; Nahas, R. M. Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênica e potenciais riscos para a saúde. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 15. Núm 3. p.3-12. 2009.

-Hirschbruch, M. D.; Fisberg. M.; Mochizuki, L. Consumo de suplementos por jovens frequentadores de academias de ginástica em São Paulo. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol.14. Núm. 6. p.539-543. 2008.

-Inácio, F.; Costa, C.; Barros, A.; Granjeiro, P. Levantamento do uso de anabolizantes e suplementos nutricionais em academias de musculação. Movimento & Percepção. Vol. 9. Núm. 13. p. 287-299. 2008.

-Iriart, J. A. B.; Andrade, T. M. Musculação, uso de esteróides anabolizantes e percepção de risco entre jovens fisiculturistas de um bairro popular de Salvador, Bahia, Brasil. Cadernos de saúde pública. Vol. 18. Núm. 5. p. 1379-1387. 2002.

-Juzwiak, C. R.; Paschoal, V. C.; Lopez, F. A. Nutrição e atividade física. Jornal de Pediatria. Vol. 76. Núm. 3. p.349. 2000.

-Kleiner, S.; Greenwood-Robinson, M. Nutrição para o treinamento de força. São Paulo. Editora Manole, 2002.

-Leite, M. S. R.; Sousa, S. C.; Silva, F. M.; Bouzas, J. C. M. Creatina: Estratégia ergogênica no meio esportivo. Uma breve revisão. Revista Brasileira de Ciência da Saúde. Vol. 13. Núm. 43. 2015.

-Miller, G. D. Carboidratos na ultra-resistência e no desempenho atlético. In: Wolinsky I.; Hickson, J.F. Nutrição no exercício e no esporte. 2ª edição. São Paulo. Roca. p. 51-67 (1996).

-Moraes, R. S.; Nóbrega, A. C. L.; Castro, R. R. T.; Negrão, C. E.; Stein, R.; Serra, S. M. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretriz de reabilitação cardíaca. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 84. Núm. 5. p.431-440. 2005.

-Pamplona, P. Perfil dos consumidores de suplemento em praticantes de musculação de Florianópolis. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 13. Núm. 4. p.153. 2005.

-Panza, V. P.; Coelho, M. S. P. H.; Pietro, P. F.; Assis, M. A. A.; Vasconcelos, F. A. G. Consumo alimentar de atletas: reflexões sobre recomendações nutricionais, hábitos alimentares e métodos para avaliação do gasto e consumo energéticos. Revista de Nutrição. Vol. 20. Núm. 6. p.681-692. 2007.

-Pereira, R. F.; Lajolo, F. M.; Hirschbruch, F.D. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginástica em São Paulo. Revista de Nutrição. Vol. 16. Núm 3. p.265-272. 2003.

-Pimenta, M. G.; Lopes, A. C. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de atividade física de academia de ginástica de Cascavel-PR. Simpósio Celafiscs. 2007.

-Prado, W. L.; Botero, J. P.; Guerra, R. L. F.; Rodrigues, C. L.; Cuvello, L. C.; Dâmaso, A. R. Perfil antropométrico e ingestão de macronutrientes em atletas profissionais brasileiros de futebol, de acordo com suas posições. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 12. Núm. 2. p.61-65. 2006.

-Reis, M. G. A.; Manzoni, M.; Simonard-Loureiro, H. Avaliação do uso de suplementos nutricionais por frequentadores de academias de ginástica em Curitiba. Revista de Nutrição. Vol. 5. Núm. 5. p.56-61. 2006.

-Rocha, L. P.; Pereira, M. V. L. Consumo de suplementos nutricionais por praticantes de exercícios físicos em academias. Revista de Nutrição. Vol. 11. Núm. 1. p.76-82. 1998.

-Rossi, L.; Tirapegui J. Aspectos atuais sobre exercício físico, fadiga e nutrição. Revista Paulista de Educação Física. Vol. 13. Núm. 1. p.67-82. 1999.

-Salas, M. I. Requerimentos de energia e nutrientes da população brasileira. Revista de Saúde Pública. Vol. 13. Supl. 1. p.1-20. 1979. Disponível em: . Acesso em: 10 /01/2016.

-Santos, M. A. A.; Santos, R. P. Uso de suplementos alimentares como forma de melhorar a performance nos programas de atividade física em academias de ginástica. Revista Paulista de Educação Física. Vol. 16. Núm. 2. p.174-185. 2002.

-Silva, A. A.; Marins, J. C. B. Consumo e nível de conhecimento sobre recursos ergogênicos nutricionais em atletas. Bioscience Journal. Vol. 29. Núm. 4. 2013.

-Silva, P. R. P.; Machado-Júnior, L. C.; Figueiredo, V. C.; Cioffi, A. P.; Prestes, M. C.; Czepielewski, M. A. Prevalência do uso de agentes anabólicos em praticantes de musculação de Porto Alegre. Arquivos brasileiros de endocrinologia & metabologia. Vol. 51. p.104-110. 2007.

-Vaz, A. F. Doping, esporte, performance: notas sobre os “limites” do corpo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Vol. 27. Núm 1. 2005.

-Viebig, R. F.; Nacif, M. A. L. Recomendações nutricionais para a atividade física e o esporte. Revista Brasileira de Educação Física, Esporte, Lazer e Dança. Vol. 1. Núm 1. p.2-14. 2006.

-Vieira, J. L. L.; Rocha, P. G. M.; Ferrarezi, R. A. A dependência pela prática de exercícios físicos e o uso de recursos ergogênicos. Acta Scientiarum. Health Sciences. Vol. 32. Núm. 1. p.35-41. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBNE - Revista Brasileira de Nutrição Esportiva

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato: aqui