Análise de concentração de proteinas em diferentes tipos de suplementos proteicos nacionais

  • Carolina Stacntz Farias Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
  • Giuseppe Potrick Stefani Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Porto Alegre-RS, Brasil.
  • Cláudia Dornelles Schneider Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
  • Vanusa Regina Lando Departamento de Farmacociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
Palavras-chave: Suplementos Nutricionais, Informação Nutricional, Análise Química

Resumo

O consumo de suplementos nutricionais, como whey protein, vem aumentando constantemente entre atletas e praticantes de exercício físico. É de extrema importância para o consumidor que a informação nutricional contida nos rótulos destes produtos respeite as exigências previstas na legislação Brasileira. O objetivo deste estudo foi determinar a quantidade de proteína de diferentes marcas nacionais de whey protein, concentrado e isolado, bem como comparar os valores determinados com os dados apresentados nos rótulos desses suplementos. Foi analisado o teor proteico de cinco amostras de whey protein 100% concentrado e cinco amostras de whey protein 100% isolado, obtidas nas cidades de Porto Alegre e Canoas. As análises foram realizadas em quadriplicata através do método semi-micro Kjeldahl. Os resultados obtidos foram comparados com os valores expressos nos rótulos dos produtos, e com o preconizado na legislação. As 10 amostras analisadas apresentaram na análise percentual menor teor proteico em relação ao rótulo. Entretanto, em relação à legislação, todas amostras estavam adequadas quanto aos critérios de 20% de diferença em relação ao rótulo e conter 10,0 g proteína/porção, com apenas um produto contendo <50% do valor energético total na porção. A maioria das amostras demonstrou adequação de teores de proteína na porção conforme a legislação, entretanto, todos os produtos, independentemente de ser whey protein concentrado ou isolado apresentaram menores teores de proteína na porção em relação aos seus rótulos.

Biografia do Autor

Carolina Stacntz Farias, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
Curso de Nutrição
Giuseppe Potrick Stefani, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Porto Alegre-RS, Brasil.
Escola de Ciências da Saúde
Cláudia Dornelles Schneider, Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
Departamento de Nutrição / PPG Ciências da Reabilitação
Vanusa Regina Lando, Departamento de Farmacociências, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre-RS, Brasil.
Departamento de Farmacociências

Referências

-Aljaloud, S.O.; Ibrahim, S.A. Use of Dietary Supplements among Professional Athletes in Saudi Arabia. Journal of Nutrition and Metabolism, Vol. 2013. 2013. p. 1-8.

-Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ministério da Saúde. Dispõe sobre alimentos para atletas. Resolução De Diretoria Colegiada, Num. 18 de 27 de abril de 2010. Brasília, 2010.

-Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ministério da Saúde. Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional. Resolução De Diretoria Colegiada, Num. 360 de 23 de dezembro de 2003. Brasília, 2003.

-Araújo, L.R.; Andreolo, J.; Silva, M.S. Utilização de suplemento alimentar e anabolizante por praticantes de musculação nas academias de Goiânia-GO. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 10. Num. 3. 2002. p. 13-18.

-Bianco, A. Mammina, C.; Thomas, E.; Ciulla, F.; Puplella, U.; Gagliardo, F.; Bellafiore, M.; Battaglia, G.; Paoli, A.; Palma, A. Protein supplements consumption: a comparative study between the city centre and the suburbs of Palermo, Italy. BMC sports science, medicine and rehabilitation. Vol. 6. Num. 29. 2014. p. 1-5.

-Cantori, A.M.; Sordi, M. D.F.; Navarro, A.C. Conhecimento sobre ingestão de suplementos por frequentadores de academias em duas cidades diferentes no sul do Brasil. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 3. Num. 15. 2009. p. 172-181. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/114>

-Cardoso, R. Força Suplementar. Comércio & Serviços, Publicação da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo. Vol. 44. 2016. p. 48-52.

-Dickinson, A.; Mackay, D. Health habits and other characteristics of dietary supplement users: a review. Nutrition Journal. Vol. 13. Num. 14. 2014. p. 1-8.

-Esteves, C.F.F.; Toledo, G.C.G. Comparação de rotulagem de suplementos proteicos e de creatina com a resolução RDC no 18 / 2010 que dispõe sobre alimentos para atletas. Revista Saúde. Vol. 5. Num. 2. 2016. p. 9-22.

-Feitosa, G.M.; Caetano, Y.R.; Torresa, I.M.S.; Alvesa, V.F.; Garcia, T.A. Alimentos para atletas: qualidade das informações do rótulo. Revista de Biotecnologia & Ciência. Vol. 1. Num. 2. 2013. Suplemento especial p. 32.

-INMETRO. Programa de análise de produtos: Relatório final sobre a análise em suplementos proteicos para atletas – Whey protein. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e tecnologia – INMETRO. 2014.

-Karimian, J.; Esfahani, P.S. Supplement consumption in body builder athletes. India: Journal of Research in Medical Sciences: Journal of Research in Medical Sciences. Vol. 16. Num. 10. 2011. p. 1347-1353.

-Lima, L.M.; Lima, A.S.; Braggion, F.G. Avaliação do consumo alimentar de praticantes de musculação. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 9. Num. 50. 2015. p.103-110. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/462>

-Lovato, F.; Kowaleski, J.; Santos, L.R.; Silva, S.Z. Avaliação da conformidade de suplementos alimentares frente à legislação vigente. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 8. Num. 47. 2014. p. 1-10. Disponível em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/472>

-Maughan, R.J. Quality assurance issues in the use of dietary supplements, with special reference to protein supplements. Journal of Nutrition. Vol. 143. Num. 11. 2013. p. 1843S-1847S.

-Nabuco, H.C.G.; Rodrigues, V.B.; Barros, W.M.; Ravagnani, F.C.P.; Espinosa, M.M.; Ravagnani, C.F.C. Use of dietary supplements among Brazilian athletes. Revista de Nutrição. Vol. 30. Num. 2. 2017. p. 163-173.

-Parnell, J.A.; Wiens, K.; Erdman, K.A. Evaluation of congruence among dietary supplement use and motivation for supplementation in young, Canadian athletes. Journal of the International Society of Sports Nutrition. Vol. 12. Num. 49. 2015. p. 1-10.

-Pereira, R. F.; Lajolo, F. M.; Hirschbruch, M. D. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginastica de São Paulo. Revista de Nutrição. Vol. 16. Num. 3. 2003. p. 265-272.

-Reinert, A.; Rohrmann S.; Becker N.; Linseisen J. Lifestyle and diet in people using dietary supplements: A German cohort study. European Journal of Nutrition. Vol. 46. Num. 3. 2007. p. 165-173.

-Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênica e potenciais riscos para a saúde. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 15. Num. 3. 2009. p. 3-12.

-Scarlato, R.C.; Miranda, N.G.M.; Costa, R.S.; Simões, K.M.A.; Vidal, I.K.S.; Rego, E.C.P. Determinação do teor de proteínas e carboidratos totais em suplementos tipo Whey Protein. Revista do Instituto Adolfo Lutz. Vol. 75. Num. 1701. 2016. p. 1-7.

-Smithers, G.W. Whey and whey proteins - From “gutter-to-gold”. International Dairy Journal. Vol. 18. Num. 7. 2008. p. 695-704.

-Soares, J.P.; Marques, G.A.; Magalhães, C.S.; Santos, A.B.; São José, J.F.B.; Silva, D.A; Silva, E.M.M. Efeito da adição de proteína do soro do leite como substituto do trigo na formulação de bolos sem adição de açúcar. Brazilian Journal of Food Technology. Vol. 21. 2018. p. 1-9. e2016190.

-United States Dairy Council. Reference manual for US whey and lactose products. Arlington, VA: US Dairy Export Council. 2006.

-Wolfe, R. R. Protein supplements and exercise. American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 72. Num. 2. 2000. p. 551S-557S.

Publicado
2019-09-19
Como Citar
Farias, C. S., Stefani, G. P., Schneider, C. D., & Lando, V. R. (2019). Análise de concentração de proteinas em diferentes tipos de suplementos proteicos nacionais. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 13(81), 705-712. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1423
Seção
Artigos Científicos - Original